Funções do Tableau (em ordem alfabética)

A funções do Tableau nesta referência são organizadas em ordem alfabética. Clique em uma letra para visualizar as funções que começam com ela. Se nenhuma função começar com essa letra, as funções que começarem com a próxima letra do alfabeto serão mostradas. Também é possível pressionar Ctrl+F (Command-F em um Mac) para abrir a caixa de pesquisa que pode ser usada para pesquisar uma função específica na página.

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z


ABS(number)

Retorna o valor absoluto do número especificado.

Exemplos

ABS(-7) = 7

ABS([Budget Variance])

O segundo exemplo retorna o valor absoluto para todos os números contidos no campo Budget Variance.

ACOS(number)

Retorna o arco cosseno do número especificado. O resultado é em radianos.

Exemplo

ACOS(-1) = 3.14159265358979

ASCII(string)

Retorna o código ASCII do primeiro caractere de string.

Exemplo

ASCII('A') = 65

ASIN(number)

Retorna o arco seno de um número especificado. O resultado é em radianos.

Exemplo

ASIN(1) = 1.5707963267949

ATAN(number)

Retorna o arco tangente de um número especificado. O resultado é em radianos.

Exemplo

ATAN(180) = 1.5652408283942

ATAN2(y number, x number)

Retorna o arco tangente de dois números especificados (x e y). O resultado é em radianos.

Exemplo

ATAN2(2, 1) = 1.10714871779409

ATTR(expression)

Retorna o valor da expressão caso tenha um único valor para todas as linhas. Do contrário, retorna um asterisco. Os valores nulos são ignorados.

AVG(expression)

Retorna a média de todos os valores na expressão. AVG pode ser usada com campos numéricos apenas. Os valores nulos são ignorados.

CASE expression WHEN value1 THEN return1 WHEN value2 THEN return2...ELSE default return END

Use a função CASE para executar testes lógicos e retornar valores apropriados. CASE é geralmente mais fácil de usar do que IIF ou IF THEN ELSE. A função CASE avalia expression, compara com uma sequência de valores, value1, value2, etc., e retorna um resultado. Quando um valor correspondente a expression for encontrado, CASE retornará o valor de retorno correspondente. Se nenhuma correspondência for encontrada, a expressão de retorno padrão será usada. Se não houver retorno padrão e nenhuma correspondência de valor, Null será retornado.

Normalmente, você usa uma função IF para executar uma sequência de testes arbitrários e usa uma função CASE para procurar uma correspondência para uma expressão. Mas uma função CASE pode ser sempre reescrita como uma função IF, embora a função CASE seja geralmente mais concisa.

Muitas vezes, você pode usar um grupo para obter os mesmos resultados de uma função case complicada.

Exemplos

CASE [Region] WHEN 'West' THEN 1 WHEN 'East' THEN 2 ELSE 3 END

CASE LEFT(DATENAME('weekday',[Order Date]),3) WHEN 'Sun' THEN 0 WHEN 'Mon' THEN 1 WHEN 'Tue' THEN 2 WHEN 'Wed' THEN 3 WHEN 'Thu' THEN 4 WHEN 'Fri' THEN 5 WHEN 'Sat' THEN 6 END

CEILING(número)

Arredonda um número para o inteiro mais próximo de valor maior ou igual.

Exemplo

CEILING(3.1415) = 4

Disponibilidade por fonte de dados
Fonte de dados Suporte
Microsoft Access Não suportado
Microsoft Excel Suportado
Arquivo de texto Suportado
Arquivo de estatística Suportado
Tableau Server Suportado
Actian Vectorwise Não suportado
Amazon Aurora Não suportado
Amazon EMR Hadoop Hive Suportado
Amazon Redshift Não suportado
Aster Database Não suportado
Cloudera Hadoop Suportado
DataStax Enterprise Suportado
EXASOL Não suportado
Firebird Não suportado
Google Analytics Suportado
Google BigQuery Suportado
Google Cloud SQL Não suportado
Hortonworks Hadoop Hive Suportado
IBM BigInsights Não suportado
IBM DB2 Não suportado
IBM PDA (Netezza) Não suportado
MapR Hadoop Hive Suportado
MarkLogic Não suportado
Microsoft Analysis Services Não suportado
Microsoft PowerPivot Não suportado
Microsoft SQL Server Não suportado
MySQL Não suportado
Oracle Não suportado
Oracle Essbase Não suportado
Actian Matrix (ParAccel) Não suportado
Pivotal Greenplum Não suportado
PostgreSQL Não suportado
Progress OpenEdge Não suportado
Salesforce Suportado
SAP HANA Não suportado
SAP Sybase ASE Não suportado
SAP Sybase IQ Não suportado
Spark SQL Suportado
Splunk Não suportado
Teradata Não suportado
Teradata OLAP Connector Não suportado
Vertica Não suportado

CHAR(number)

Retorna o caractere codificado pelo código ASCII number.

Exemplo

CHAR(65) = 'A'

COLLECT (espacial)

Um cálculo agregado que combina os valores no campo do argumento. Os valores nulos são ignorados.

Observação: a função COLLECT pode ser usada apenas com campos espaciais.

Exemplo

COLLECT ([Geometry])

CONTAINS(string, substring)

Retornará true se a cadeia de caracteres determinada contiver a subcadeia de caracteres especificada.

Exemplo

CONTAINS(“Calculation”, “alcu”) = true

CORR(expression 1, expression2)

Retorna o coeficiente de correlação Pearson de duas expressões.

A correlação Pearson mede a relação linear entre duas variáveis. Os resultados variam de -1 a +1 inclusive, em que 1 denota uma relação linear positiva e exata, quando uma alteração positiva em uma variável implica na alteração positiva da magnitude correspondente da outra variável, 0 denota nenhuma relação linear entre a variância e −1 é uma relação negativa exata.

CORR está disponível com as seguintes fontes de dados:

  • Extrações de dados do Tableau (crie uma extração a partir de qualquer fonte de dados)
  • Cloudera Hive
  • EXASOL
  • Firebird (versão 3.0 e posterior)
  • Google BigQuery
  • Hortonworks Hadoop Hive
  • Oracle
  • PostgreSQL
  • Presto
  • SybaseIQ
  • Teradata
  • Vertica

Para outras fontes de dados, considere extrair os dados ou usar WINDOW_CORR. Consulte Funções de cálculo de tabela.

Observação: o quadrado de um resultado CORR é equivalente ao valor quadrado de R para um modelo de linha de tendência linear. Consulte Termos do modelo de linha de tendência.

Exemplo

Use CORR para visualizar a correlação em um gráfico de dispersão desagregado. A maneira para fazer isso é usar uma expressão de nível de detalhe com escopo de tabela. Por exemplo:

{CORR(Sales, Profit)}

Com uma expressão de nível de detalhe, a correlação é executada em todas as linhas. Se usou uma fórmula como CORR(Sales, Profit) (sem estar entre colchetes, para torná-la uma expressão de nível de detalhe), a exibição mostraria a correlação de cada ponto individual no gráfico de dispersão em relação ao outro ponto, que está indefinido.

Consulte Escopo de tabela

COS(number)

Retorna o cosseno de um ângulo. Especifique o ângulo em radianos.

Exemplo

COS(PI( ) /4) = 0.707106781186548

COT(number)

Retorna a cotangente de um ângulo. Especifique o ângulo em radianos.

Exemplo

COT(PI( ) /4) = 1

COUNT(expression)

Retorna o número de itens em um grupo. Os valores Null não são contados.

COUNTD(expression)

Retorna o número de itens distintos em um grupo. Os valores Null não são contados. Essa função não está disponível nos seguintes casos: pastas de trabalho criadas antes do Tableau Desktop 8.2 que usam fontes de dados do Microsoft Excel ou de arquivo de texto, pastas de trabalho que usam a conexão herdada e pastas de trabalho que usam fontes de dados do Microsoft Access. Extraia seus dados para um arquivo de extração para usar essa função. Consulte Extrair seus dados.

COVAR(expression 1, expression2)

Retorna a covariância de amostra de duas expressões

A covariância quantifica como duas variáveis mudam ao mesmo tempo. Uma covariância positiva indica que as variáveis tendem a se mover na mesma direção, como quando valores maiores de uma variável tendem a corresponder aos valores maiores da outra variável, em média. A covariância de amostra usa o número de pontos de dados não nulos, n - 1, para normalizar o cálculo da covariância, em vez de n, que é usado pela covariância populacional (disponível com a função COVARP). A covariância de amostra é a escolha apropriada quando os dados são uma amostra aleatória sendo usada para estimar a covariância de uma população maior.

COVAR está disponível com as seguintes fontes de dados:

  • Extrações de dados do Tableau (crie uma extração a partir de qualquer fonte de dados)
  • Cloudera Hive
  • EXASOL
  • Firebird (versão 3.0 e posterior)
  • Google BigQuery
  • Hortonworks Hadoop Hive
  • IBM PDA (Netezza)
  • Oracle
  • PostgreSQL
  • Presto
  • SybaseIQ
  • Teradata
  • Vertica

Para outras fontes de dados, considere extrair os dados ou usar WINDOW_COVAR. Consulte Funções de cálculo de tabela.

Se expression1 e expression2 forem iguais — por exemplo, COVAR([profit], [profit]) — COVAR retorna um valor que indica como os valores são distribuídos amplamente.

Observação: o valor de COVAR(X, X) é equivalente ao valor de VAR(X) e também ao valor de STDEV(X)^2.

Exemplo

A fórmula a seguir retorna a covariância de amostra de Sales e Profit.

COVAR([Sales], [Profit])

COVARP(expression 1, expression2)

Retorna a covariância populacional de duas expressões

A covariância quantifica como duas variáveis mudam ao mesmo tempo. Uma covariância positiva indica que as variáveis tendem a se mover na mesma direção, como quando valores maiores de uma variável tendem a corresponder aos valores maiores da outra variável, em média. A covariância populacional é a covariância de amostra multiplicada por (n-1)/n, em que n é o número total de pontos de dados não nulos. A covariância populacional é a escolha apropriada quando há dados disponíveis para todos os itens de interesse, ao invés de somente um subconjunto aleatório de itens, em que a covariância de amostra (com a função COVAR) é apropriada.

COVARP está disponível com as seguintes fontes de dados:

  • Extrações de dados do Tableau (crie uma extração a partir de qualquer fonte de dados)
  • Cloudera Hive
  • EXASOL
  • Firebird (versão 3.0 e posterior)
  • Google BigQuery
  • Hortonworks Hadoop Hive
  • IBM PDA (Netezza)
  • Oracle
  • PostgreSQL
  • Presto
  • SybaseIQ
  • Teradata
  • Vertica

Para outras fontes de dados, considere extrair os dados ou usar WINDOW_COVARP. Consulte Funções de cálculo de tabela.

Se expression1 e expression2 forem iguais — por exemplo, COVARP([profit], [profit]) — COVARP retorna um valor que indica como os valores são distribuídos amplamente.

Observação: o valor de COVARP(X, X) é equivalente ao valor de VARP(X) e também ao valor de STDEVP(X)^2.

Exemplo

A fórmula a seguir retorna a covariância populacional de Sales e Profit.

COVARP([Sales], [Profit])

DATE(expression)

Retorna uma data de acordo com um número, cadeia de caracteres ou expressão de data.

Exemplos

DATE([Employee Start Date])

DATE("April 15, 2004") = #April 15, 2004#

DATE("4/15/2004")

DATE(#2006-06-15 14:52#) = #2006-06-15#

As aspas são necessárias no segundo e no terceiro exemplos.

DATEADD(date_part, interval, date)

Retorna a data especificada com o interval do número especificado, adicionado a date_part especificada dessa data.

Exemplo

DATEADD('month', 3, #2004-04-15#) = 2004-07-15 12:00:00 AM

Essa expressão adiciona três meses à data #2004-04-15#.

DATEDIFF(date_part, date1, date2, [start_of_week])

Retorna a diferença entre date1 e date2 expressa em unidades de date_part.

O parâmetro start_of_week, que você pode usar para especificar qual dia deve ser considerado o primeiro dia ou semana, é opcional. Os valores possíveis são 'monday' (segunda-feira), 'tuesday' (terça-feira) etc. Caso isso seja omitido, o início da semana é determinado pela fonte de dados. Consulte Propriedades de data para uma fonte de dados.

Exemplo

DATEDIFF('week', #2013-09-22#, #2013-09-24#, 'monday')= 1

DATEDIFF('week', #2013-09-22#, #2013-09-24#, 'sunday')= 0

A primeira expressão retorna 1 porque quando start_of_week é 'monday', 22 de setembro (um domingo) e 24 de setembro (uma terça-feira) estão em semanas diferentes. A segunda expressão retorna 2 porque quando start_of_week é 'sunday', 22 de setembro (um domingo) e 24 de setembro (uma terça-feira) estão na mesma semana.

DATENAME(date_part, date, [start_of_week])

Retorna date_part de date como uma cadeia de caracteres. O parâmetro start_of_week, que você pode usar para especificar qual dia deve ser considerado o primeiro dia ou semana, é opcional. Os valores possíveis são 'monday' (segunda-feira), 'tuesday' (terça-feira) etc. Se start_of_week for emitido, o início da semana será determinado pela fonte de dados. Consulte Propriedades de data para uma fonte de dados.

Exemplos

DATENAME('year', #2004-04-15#) = "2004"

DATENAME('month', #2004-04-15#) = "April"

DATEPARSE(format, string)

Converte uma sequência de caracteres em uma data e hora no formato especificado. O suporte para alguns formatos específicos de localidade é determinado pelas configurações de sistema do computador. Letras exibidas nos dados e que não precisam ser analisadas devem estar entre aspas simples (' '). Para formatos sem delimitadores entre valores (por exemplo, MMddyy), verifique se eles são analisados conforme esperado. O formato deve ser uma cadeia de caracteres constante, e não um valor de campo. Esta função retorna Null caso os dados não correspondam ao formato.

Esta função está disponível para diversos conectores. Para obter mais informações, consulte Converter um campo em um campo de data.

Exemplos

DATEPARSE ("dd.MMMM.yyyy", "15.April.2004") = #April 15, 2004#

DATEPARSE ("h'h' m'm' s's'", "10h 5m 3s") = #10:05:03#

DATEPART(date_part, date, [start_of_week])

Retorna date_part de date como um inteiro.

O parâmetro start_of_week, que você pode usar para especificar qual dia deve ser considerado o primeiro dia ou semana, é opcional. Os valores possíveis são 'monday' (segunda-feira), 'tuesday' (terça-feira) etc. Se start_of_week for emitido, o início da semana será determinado pela fonte de dados. Consulte Propriedades de data para uma fonte de dados.

Observação: Quando date_part é um dia útil, o parâmetro start_of_week é ignorado. Isso é porque o Tableau usa uma ordenação de dias úteis fixa para aplicar desvios.

Exemplos

DATEPART('year', #2004-04-15#) = 2004

DATEPART('month', #2004-04-15#) = 4

DATETIME(expression)

Retorna uma datetime de acordo com um número, cadeia de caracteres ou expressão de data.

Exemplo

DATETIME(“April 15, 2005 07:59:00”) = April 15, 2005 07:59:00

DATETRUNC(date_part, date, [start_of_week])

Trunca a data especificada na precisão definida por date_part. Esta função retorna uma nova data. Por exemplo, quando você trunca uma data no meio do mês no nível do mês, essa função retorna o primeiro dia do mês. O parâmetro start_of_week, que você pode usar para especificar qual dia deve ser considerado o primeiro dia ou semana, é opcional. Os valores possíveis são 'monday' (segunda-feira), 'tuesday' (terça-feira) etc. Se start_of_week for emitido, o início da semana será determinado pela fonte de dados. Consulte Propriedades de data para uma fonte de dados.

Exemplos

DATETRUNC('quarter', #2004-08-15#) = 2004-07-01 12:00:00 AM

DATETRUNC('month', #2004-04-15#) = 2004-04-01 12:00:00 AM

DAY(date)

Retorna o dia da data especificada como um inteiro.

Exemplo

DAY(#2004-04-12#) = 12

DEGREES(number)

Converte um determinado número em radianos em graus.

Exemplo

DEGREES(PI( )/4) = 45.0

DISTANCE(Geometry1, Geometry2, "Units")

Retorna a medida de distância entre dois pontos em uma unidade especificada. Nomes de unidade suportados: metros ("metros", "metres", "m"), quilômetros ("quilômetros", "kilometres", "km"), milhas ("milhas" ou "miles"), pés ("pés", "ft").

Essa função só pode ser criada com uma conexão dinâmica e continuará a funcionar quando uma fonte de dados for convertida em uma extração.

Exemplos

DISTANCE ({ EXCLUDE [Branch Name] : COLLECT([Selected Point]) }, [unselected point], 'km')

DISTANCE([Origin MakePoint],[Destination MakePoint], "miles")

DIV(integer1, integer2)

Retorna a parte inteira de uma operação de divisão, na qual o inteiro1 é dividido pelo inteiro2.

Exemplo

DIV(11,2) = 5

DOMAIN(string_url)

Observação : compatível somente quando conectado ao Google BigQuery

Dada uma cadeia de caracteres de URL, retorna o domínio como uma cadeia de caractere.

Exemplo

DOMAIN('http://www.google.com:80/index.html') = 'google.com'

ENDSWITH(string, substring)

Retornará true se a cadeia de caracteres determinada terminar com a subcadeia de caracteres especificada. Espaços em branco à direita são ignorados.

Exemplo

ENDSWITH(“Tableau”, “leau”) = true

EXP(number)

Retorna e elevado à potência do número especificado.

Exemplos

EXP(2) = 7.389

EXP(-[Growth Rate]*[Time])

FIND(string, substring, [start])

Retorna a posição de índice de substring em string ou 0 se a substring não for encontrada. Se o argumento opcional start for adicionado, a função ignorará qualquer instância de substring que apareça antes da posição de índice start. O primeiro caractere na cadeia de caracteres está na posição 1.

Exemplos

FIND("Calculation", "alcu") = 2

FIND("Calculation", "Computer") = 0

FIND("Calculation", "a", 3) = 7

FIND("Calculation", "a", 2) = 2

FIND("Calculation", "a", 8) = 0

FINDNTH(string, substring, occurrence)

Retorna a posição da nª ocorrência de substring dentro da string especificada, onde n é definido pelo argumento de ocorrência

Observação: FINDNTH não está disponível em todas as fontes de dados.

Exemplo

FINDNTH("Calculation", "a", 2) = 7

FIRST( )

Retorna o número de linhas da linha atual até a primeira linha na partição. Por exemplo, a exibição a seguir mostra as vendas trimestrais. Quando FIRST() é calculado na partição Date, a compensação da primeira linha em relação à segunda linha é -1.

Exemplo

Quando o índice de linha atual for 3, FIRST() = -2.

FLOAT(expression)

Converte seu argumento como um número de ponto flutuante.

Exemplos

FLOAT(3) = 3.000

FLOAT([Age]) converte cada valor no campo Age em um número de ponto flutuante.

FLOOR(número)

Arredonda um número para o inteiro mais próximo de valor menor ou igual.

Exemplo

FLOOR(3.1415) = 3

Disponibilidade por fonte de dados
Fonte de dados Suporte
Microsoft Access Não suportado
Microsoft Excel Suportado
Arquivo de texto Suportado
Arquivo de estatística Suportado
Tableau Server Suportado
Actian Vector Não suportado
Amazon Aurora Não suportado
Amazon EMR Hadoop Hive Suportado
Amazon Redshift Não suportado
Aster Database Não suportado
Cloudera Hadoop Suportado
DataStax Enterprise Suportado
EXASOL Não suportado
Firebird Não suportado
Google Analytics Suportado
Google BigQuery Suportado
Google Cloud SQL Não suportado
Hortonworks Hadoop Hive Suportado
IBM BigInsights Não suportado
IBM DB2 Não suportado
IBM Netezza Não suportado
MapR Hadoop Hive Suportado
MarkLogic Não suportado
Microsoft Analysis Services Não suportado
Microsoft PowerPivot Não suportado
Microsoft SQL Server Não suportado
MySQL Não suportado
Oracle Não suportado
Oracle Essbase Não suportado
ParAccel Não suportado
Pivotal Greenplum Não suportado
PostgreSQL Não suportado
Progress OpenEdge Não suportado
Salesforce Suportado
SAP HANA Não suportado
SAP Sybase ASE Não suportado
SAP Sybase IQ Não suportado
Spark SQL Suportado
Splunk Não suportado
Teradata Não suportado
Teradata OLAP Connector Não suportado
Vertica Não suportado

FULLNAME( )

Retorna o nome completo do usuário atual. Esse é o nome completo do Tableau Server ou Tableau Online quando o usuário está conectado; caso contrário, o local ou o nome completo da rede do usuário do Tableau Desktop.

Exemplo

[Manager]=FULLNAME( )

Se o gerente Dave Hallsten estiver conectado, este exemplo retornará True somente se o campo Gerente da exibição contiver Dave Hallsten. Quando usado como um filtro, esse campo calculado poderá ser usado para criar um filtro de usuário que mostra apenas dados relevantes para a pessoa conectada ao servidor.

GET_JSON_OBJECT(cadeia de caracteres JSON, caminho JSON)

Observação: compatível somente quando conectado ao Hadoop Hive.

Retorna o objeto JSON dentro da cadeia de caracteres JSON baseando-se no caminho JSON.

GROUP_CONCAT(expressão)

Observação : compatível somente quando conectado ao Google BigQuery

Concatena os valores de cada registro em uma única string delimitada por vírgula. Esta função atua como uma SUM() para strings.

Exemplo

GROUP_CONCAT(Região) = "Central,Leste,Oeste"

HEXBINX(number, number)

Mapeia as coordenadas x, y com a coordenada x do compartimento hexagonal mais próximo. Os compartimentos têm extensão 1, então as entradas podem precisar ser escalonadas corretamente.

HEXBINX e HEXBINY são funções de armazenamento e plotagem dos compartimentos hexagonais. Compartimentos hexagonais são uma opção eficiente e elegante para a visualização de dados em um plano x/y como um mapa. Como os compartimentos são hexagonais, cada um se aproxima de um círculo e minimiza a variação da distância entre o ponto de dados e o centro do compartimento. Isso torna o agrupamento mais preciso e informativo.

Exemplo

HEXBINX([Longitude], [Latitude])

HEXBINY(number, number)

Mapeia as coordenadas x, y com a coordenada y do compartimento hexagonal mais próximo. Os compartimentos têm extensão 1, então as entradas podem precisar ser escalonadas corretamente.

Exemplo

HEXBINY([Longitude], [Latitude])

HOST(string_url)

Observação : compatível somente quando conectado ao Google BigQuery

Dada uma cadeia de caracteres de URL, retorna o nome do host como uma cadeia de caracteres.

Exemplo

HOST('http://www.google.com:80/index.html') = 'www.google.com:80'

IF test THEN value END / IF test THEN value ELSE else END

Use a função IF THEN ELSE para executar testes lógicos e retornar valores apropriados. A função IF THEN ELSE avalia uma sequência de condições de testes e retorna o valor para a primeira condição que for true. Se nenhuma condição for true, o valor ELSE será retornado. Cada teste deve ser um booliano, ser um campo booliano na fonte de dados ou o resultado de uma expressão lógica. A instrução ELSE final é opcional, mas se não for fornecida e se não houver nenhuma expressão de teste true, a função retornará Null. Todas as expressões de valor devem ser do mesmo tipo.

Exemplos

IF [Cost]>[Budget Cost] THEN 'Over Budget' ELSE 'Under Budget' END

IF [Budget Sales]!=0 THEN [Sales]/[Budget Sales] END

IF test1 THEN value1 ELSEIF test2 THEN value2 ELSE else END

Use esta versão da função IF para executar testes lógicos recursivamente. Não há limite interno para o número de valores ELSEIF que você pode usar com uma função IF, embora bancos de dados individuais possam impor um limite na complexidade da função IF. Embora uma instrução IF possa ser reescrita como uma série de instruções IIF aninhadas, há diferenças no modo como as expressões serão avaliadas. Em particular, uma instrução IIF distingue TRUE, FALSE e UNKNOWN, enquanto uma instrução IF somente se preocupa com TRUE e não true (o que inclui FALSE e UNKNOWN).

Exemplo

Quando você cria compartimentos para uma medida, o Tableau cria compartimentos de tamanho igual por padrão. Por exemplo, digamos que há uma medida que represente idade. Quando você cria compartimentos para aquela medida, o Tableau cria todos os compartimentos de tamanho igual. Você pode especificar o tamanho que deseja para os compartimentos, mas não pode especificar uma faixa de valores separados para cada compartimento. Uma solução para essa restrição é criar um campo calculado para definir os compartimentos. Em seguida, você pode criar um compartimento para as idades de 0 a 20, outro para idades de 21 a 32 e assim por diante. O procedimento a seguir mostra como você poderia fazer isso.

  1. Crie um novo campo calculado ao selecionar Análise > Criar campo calculado.

  2. Nomeie o campo Faixas etárias e digite o seguinte na área de definição

    IF
    [Age] < 21 THEN 'Under 21'
    ELSEIF
    [Age] <= 32 THEN '21-32'
    ELSEIF
    [Age] <= 42 THEN '33-42'
    ELSEIF
    [Age] <= 52 THEN '43-52'
    ELSEIF
    [Age] <= 64 THEN '53-64'
    ELSE '65+'
    END

    Confirme se a mensagem de status indica que a fórmula é válida e depois clique em OK.

  3. Na área Medidas do painel Dados, arraste Número de medidas para Linhas.

  4. Na área Dimensões do painel Dados, arraste Faixas etárias para Colunas.

    Os registros agora são divididos em seis compartimentos que você definiu:

    Infelizmente, o compartimento Abaixo de 21 está à direita, quando o esperado é que esteja à esquerda. O Tableau é inteligente o suficiente para colocar na ordem correta os compartimentos de nome totalmente numérico, mas não pode adivinhar que o nome do compartimento que começa compartimento "Abaixo" deve ficar à esquerda. Conserte o problema com uma classificação manual.

  5. Clique na seta para baixo à direita do campo Faixas etárias na Colunas e, em seguida, clique em Classificar. Escolha Manual e, em seguida, mova o compartimento Abaixo de 21 até a parte superior da lista:

    Agora a sua exibição está completa.

IIF(test, then, else, [unknown])

Use a função IIF para executar testes lógicos e retornar valores apropriados. O primeiro argumento, test, deve ser booliano: um campo booliano na fonte de dados ou o resultado de uma expressão lógica que usa operadores (ou uma comparação lógica de AND, OR ou NOT). Se test for avaliado como TRUE, IIF retornará o valor then . Se test for avaliado como FALSE, IIF retornará o valor else.

Uma comparação booliana também pode gerar o valor UNKNOWN (nem TRUE nem FALSE), geralmente devido à presença de valores Null no teste. O argumento final para IIF é retornado no evento de um resultado UNKNOWN para a comparação. Se esse argumento for deixado de fora, Null será retornado.

Exemplos

IIF(7>5, 'Seven is greater than five', 'Seven is less than five')

IIF([Cost]>[Budget Cost], 'Over Budget', 'Under Budget')

IIF([Budget Sales]!=0,[Sales]/[Budget Sales],0)

IIF(Sales>=[Budget Sales], 'Over Cost Budget and Over Sales Budget', 'Over Cost Budget and Under Sales Budget','Under Cost Budget')

IFNULL(expression1, expression2)

A função IFNULL retornará a primeira expressão se o resultado não for null, e retornará a segunda expressão se for null.

Exemplo

IFNULL([Profit], 0) = [Profit]

INDEX( )

Retorna o índice da linha atual na partição, sem qualquer classificação em relação ao valor. O índice da primeira linha começa em 1. Por exemplo, a tabela a seguir mostra as vendas trimestrais. Quando INDEX() é calculada na partição Date, o índice de cada linha é 1, 2, 3, 4..., etc.

Exemplo

Para a terceira linha na partição, INDEX() = 3.

INT(expression)

Converte seu argumento como um número inteiro. Para expressões, essa função trunca os resultados para o inteiro mais próximo de zero.

Exemplos

INT(8.0/3.0) = 2

INT(4.0/1.5) = 2

INT(0.50/1.0) = 0

INT(-9.7) = -9

Quando uma string é convertida em um número inteiro, ela é convertida em um flutuante e depois arredondada.

ISDATE(string)

A função ISDATE retorna TRUE se o argumento string puder ser convertido em uma data e FALSE se não puder.

Exemplos

ISDATE('January 1, 2003') = TRUE

ISDATE('Jan 1 2003') = TRUE

ISDATE('1/1/03') = TRUE

ISDATE('Janxx 1 2003') = FALSE

ISFULLNAME(string)

Retorna true se o nome completo do usuário atual coincide com o nome completo especificado, ou false se não coincide. Essa função usa o nome completo do Tableau Server ou Online quando o usuário está conectado; caso contrário, usa o local ou o nome completo da rede do usuário do Tableau Desktop.

Exemplo

ISFULLNAME(“Dave Hallsten”)

Esse exemplo retornará true se Dave Hallsten for o usuário atual, caso contrário, retornará false.

ISNULL(expression)

A função ISNULL retornará TRUE se a expressão for Null e FALSE se não for.

Exemplo

O exemplo a seguir usa ISNULL em combinação com IIF para substituir os valores nulos por 0.

IIF(ISNULL([Sales]), 0,[Sales] )

ISMEMBEROF(string)

Retornará true se a pessoa usando o Tableau atualmente for membro de um grupo que corresponda à cadeia de caracteres especificada. Se a pessoa que está usando o Tableau no momento estiver conectada, a associação ao grupo será determinada pelos grupos no Tableau Server ou Tableau Online. Caso a pessoa não tenha entrado, essa função retorna false.

Exemplo

IF ISMEMBEROF(“Sales”) THEN “Sales” ELSE “Other” END

ISUSERNAME(string)

Retorna true se o nome de usuário do usuário atual coincide com o nome de usuário especificado, ou false se não coincide. Essa função usa o nome de usuário do Tableau Server ou Online quando o usuário está conectado; caso contrário, usa o local ou o nome de usuário da rede do usuário do Tableau Desktop.

Exemplo

ISUSERNAME(“dhallsten”)

Retornará true se dhallsten for o usuário atual; caso contrário, retornará false.

LAST( )

Retorna o número de linhas da linha atual até a última linha na partição. Por exemplo, a tabela a seguir mostra as vendas trimestrais. Quando LAST() é calculado na partição Date, a compensação da última linha em relação à segunda linha é 5.

Exemplo

Quando o índice de linha atual for 3 de 7, LAST() = 4.

LEFT(string, number)

Retorna o número de caracteres na extremidade esquerda na cadeia de caracteres.

Exemplo

LEFT("Matador", 4) = "Mata"

LEN(string)

Retorna o comprimento da cadeia de caracteres.

Exemplo

LEN("Matador") = 7

LN(number)

Retorna o algoritmo natural de um número. Retorna Null se o número for menor que ou igual a 0.

LOG(number [, base])

Retorna o algoritmo de um número para a base especificada. Se o valor de base for omitido, a base 10 será usada.

LOG2(número)

Observação : compatível somente quando conectado ao Google BigQuery

Retorna o logaritmo de um número na base 2.

Exemplo

LOG2(16) = '4.00'

LOOKUP(expression, [offset])

Retorna o valor da expressão em uma linha de destino, especificada como uma compensação relativa da linha atual. Use FIRST() + n e LAST() - n como parte de sua definição de deslocamento para um destino relativo à primeira/última linha da partição. Se offset for omitido, a linha para comparação poderá ser definida no menu de campo. Esta função retornará NULL se a linha de destino não puder ser determinada.

A exibição a seguir mostra as vendas trimestrais. Quando LOOKUP (SUM(Sales), 2) é calculado na partição Date, cada linha mostra o valor de vendas de 2 trimestres no futuro.

Exemplo

LOOKUP(SUM([Profit]), FIRST()+2) calcula SUM(Profit) na terceira linha da partição.

LOWER(string)

Retorna string, com todos os caracteres minúsculos.

Exemplo

LOWER("ProductVersion") = "productversion"

LTRIM(string)

Retorna a cadeia de caracteres com os espaços à esquerda removidos.

Exemplo

LTRIM(" Matador ") = "Matador "

LTRIM_THIS(string, string)

Observação : compatível somente quando conectado ao Google BigQuery

Retorna a primeira cadeia de caracteres com qualquer ocorrência da segunda cadeia de caracteres à esquerda removida.

Exemplo

LTRIM_THIS('[-Sales-]','[-') = 'Sales-]'

MAKEDATE(year, month, day)

Retorna um valor de data composto por um ano, mês e dia específicos.

Disponível para as Extrações de dados do Tableau. Verifique a disponibilidade em outras fontes de dados.

Exemplo

MAKEDATE(2004, 4, 15) = #April 15, 2004#

MAKEDATETIME(date, time)

Retorna um datetime que combina data e hora. A data pode ser um tipo date, datetime ou string. A hora deve ser um datetime. Esta função está disponível apenas para conexões compatíveis com o MySQL (que, no Tableau são, além do MySQL, o Amazon Aurora e o Amazon Aurora).

Exemplos

MAKEDATETIME("1899-12-30", #07:59:00#) = #12/30/1899 7:59:00 AM#

MAKEDATETIME([Date], [Time]) = #1/1/2001 6:00:00 AM#

MAKELINE(geometry1,geometry2)

MAKELINE(Geometry1,Geometry2)

Gera uma marca de linha entre dois pontos espaciais; útil para criar mapas de origem-destino.

Exemplo

MAKELINE(MAKEPOINT(OriginLat],[OriginLong) ),MAKEPOINT([DestinationLat],[DestinationLong] ) )

MAKELINE(Geometry1, Geometry2 )

MAKEPOINT(Latitude,Longitude)

Converte dados de colunas de longitude e latitude em objetos espaciais. Você pode usar o MAKEPOINT para habilitar uma fonte de dados espacialmente, para que ela possa ser vinculada a um arquivo espacial usando uma união espacial. Para usar o MAKEPOINT, seus dados devem conter coordenadas de latitude e longitude.

Exemplo

MAKEPOINT([AirportLatitude],[AirportLongitude])

MAKEPOINT(Xcoordinate,Ycoordinate,SRID)

Converte dados de coordenadas geográficas projetadas em objetos espaciais. O SRID é um identificador de referência espacial que utiliza códigos do sistema de referência ESPG para especificar sistemas de coordenadas. Se o SRID não for especificado, o WGS84 será considerado e os parâmetros serão tratados como latitude/longitude em graus.

Essa função só pode ser criada com uma conexão dinâmica e continuará a funcionar quando uma fonte de dados for convertida em uma extração.

Exemplo

MAKEPOINT([Xcoord],[Ycoord],3493)

MAKETIME(hour, minute, second)

Retorna um valor de data composto por uma hora, minuto e segundo específicos.

Disponível para as Extrações de dados do Tableau. Verifique a disponibilidade em outras fontes de dados.

Exemplo

MAKETIME(14, 52, 40) = #14:52:40#

MAX(a, b)

Retorna o máximo de a e b (que devem ser do mesmo tipo). Esta função é geralmente usada para comparar números, mas também funciona com strings. Com cadeias de caracteres, MAX localiza o valor mais alto na sequência de classificação definida pelo banco de dados para essa coluna. Ele retornará Null se um dos argumentos for Null.

Exemplo

MAX ("Apple","Banana") = "Banana"

MAX(expression) ou MAX(expr1, expr2)

Normalmente aplicado a números, mas também funciona em datas. Retorna o máximo de a e b (a e b devem ser do mesmo tipo). Retornará Null se um dos argumentos for Null.

Exemplos

MAX(#2004-01-01# ,#2004-03-01#) = 2004-03-01 12:00:00 AM

MAX([ShipDate1], [ShipDate2])

MAX(number, number)

Retorna o máximo de dois argumentos, que devem ser do mesmo tipo. Retorna Null se um dos argumentos for Null. MAX também pode ser aplicada a um único campo em um cálculo agregado.

Exemplos

MAX(4,7)

MAX(Sales,Profit)

MAX([First Name],[Last Name])

MEDIAN(expression)

Retorna o mediano de uma expressão em todos os registros. O mediano pode ser usado apenas com campos numéricos. Os valores nulos são ignorados. Essa função não está disponível para pastas de trabalho criadas antes do Tableau Desktop 8.2 e que usam conexões herdadas. Ela também não está disponível para conexões usando qualquer uma das fontes de dados a seguir:

  • Access
  • Amazon Redshift
  • Cloudera Hadoop
  • IBM DB2
  • IBM PDA (Netezza)
  • Microsoft SQL Server
  • MySQL
  • SAP HANA
  • Teradata
  • Vertica

Para outros tipos de fonte de dados, é possível extrair os dados para um arquivo de extração para usar essa função. Consulte Extrair seus dados.

MID(string, start, [length])

Retorna a cadeia de caracteres que começa na posição de índice start. O primeiro caractere na cadeia de caracteres está na posição 1. Se o argumento opcional length for adicionado, a cadeia de caracteres retornada incluirá apenas esse número de caracteres.

Exemplos

MID("Calculation", 2) = "alculation"

MID("Calculation", 2, 5) ="alcul"

MIN(a, b)

Retorna o mínimo de a e b (que devem ser do mesmo tipo). Esta função é geralmente usada para comparar números, mas também funciona com strings. Com cadeias de caracteres, MIN localiza o valor menor na sequência de classificação. Ele retornará Null se um dos argumentos for Null.

Exemplo

MIN ("Apple","Banana") = "Apple"

MIN(expression) ou MIN(expr1, expr2)

Normalmente aplicado a números, mas também funciona em datas. Retorna o mínimo de a e b (a e b devem ser do mesmo tipo). Retorna Null se um dos argumentos for Null.

Exemplos

MIN(#2004-01-01# ,#2004-03-01#) = 2004-01-01 12:00:00 AM

MIN([ShipDate1], [ShipDate2])

MIN(number, number)

Retorna o mínimo de dois argumentos, que devem ser do mesmo tipo. Retorna Null se um dos argumentos for Null. MIN também pode ser aplicada a um único campo em um cálculo agregado.

Exemplos

MIN(4,7)

MIN(Sales,Profit)

MIN([First Name],[Last Name])

MODEL_PERCENTILE(target_expression, predictor_expression(s))

Retorna a probabilidade (entre 0 e 1) do valor esperado ser menor ou igual à marca observada, definida pela expressão-alvo e outros preditores. Esta é a Função de Distribuição Preditiva Posterior, também conhecida como Função de Distribuição Cumulativa (CDF).

Exemplo

MODEL_PERCENTILE( SUM([Sales]),COUNT([Orders]))

MODEL_QUANTILE(quantile, target_expression, predictor_expression(s))

Retorna um valor numérico de destino dentro do intervalo provável definido pela expressão de destino e outros preditores, em um quantil especificado. Este é o Quantil Preditivo Posterior.

Exemplo

MODEL_QUANTILE(0.5, SUM([Sales]),COUNT([Orders]))

MONTH(date)

Retorna o mês da data especificada como um inteiro.

Exemplo

MONTH(#2004-04-15#) = 4

NOW( )

Retorna a data e a hora atuais.

O retorno varia, dependendo da natureza da conexão:

  • Para uma conexão ao vivo não publicada, NOW retorna a hora do servidor da fonte de dados.

  • Para uma conexão ao vivo publicada, NOW retorna a hora do servidor da fonte de dados.

  • Para uma extração não publicada, NOW retorna a hora do sistema local.

  • Para uma extração publicada, NOW retorna a hora local do Processador de Dados do Tableau Server. Quando houver vários computadores de trabalho em diferentes fusos horários, isso pode criar resultados inconsistentes.

Exemplo

NOW( ) = 2004-04-15 1:08:21 PM

PARSE_URL(string, parte_url)

Observação: compatível somente quando conectado ao Hadoop Hive e Cloudera Impala.

Retorna um componente da cadeia de caractere de URL dada quando o componente é definido por parte_url. Valores url_part válidos incluem: 'HOST', 'PATH', 'QUERY', 'REF', 'PROTOCOL', 'AUTHORITY', 'FILE' e 'USERINFO'.

Exemplo

PARSE_URL('http://www.tableau.com', 'HOST') = 'www.tableau.com'

PARSE_URL_QUERY(string, chave)

Observação: compatível somente quando conectado ao Hadoop Hive e Cloudera Impala.

Retorna o valor do parâmetro de consulta especificado na cadeia de caracteres de URL dada. O parâmetro de consulta é definido pela chave.

Exemplo

PARSE_URL_QUERY('http://www.tableau.com?page=1&cat=4', 'page') = '1'

PERCENTILE(expression, number)

Retorna o valor percentil da expressão indicada correspondente ao número especificado. O número deve estar entre 0 e 1 (inclusive); por exemplo, 0,66, e deve ser uma constante numérica.

Essa função está disponível para as fontes de dados a seguir.

  • Conexões do Microsoft Excel e de arquivo de texto não herdadas.

  • Extrações e tipos de fonte de dados somente de extração (por exemplo, Google Analytics, OData ou Salesforce).

  • Fontes de dados do Sybase IQ 15.1 e posterior.

  • Fontes de dados do Oracle 10 e versões posteriores.

  • Fontes de dados do Cloudera Hive e Hortonworks Hadoop Hive.

  • Fontes de dados EXASOL 4.2 e posteriores.

Para outros tipos de fonte de dados, é possível extrair os dados para um arquivo de extração para usar essa função. Consulte Extrair seus dados.

PI( )

Retorna o pi da constante numérica: 3.14159.

POWER(number, power)

Eleva o número à potência especificada.

Exemplos

POWER(5,2) = 52 = 25

POWER(Temperature, 2)

Também é possível usar o símbolo ^:

5^2 = POWER(5,2) = 25

PREVIOUS_VALUE(expression)

Retorna o valor desse cálculo na linha anterior. Retornará a expressão especificada se a linha atual for a primeira linha da partição.

Exemplo

SUM([Profit]) * PREVIOUS_VALUE(1) calcula o produto em execução de SUM(Profit).

RADIANS(number)

Converte o número especificado de graus em radianos.

Exemplo

RADIANS(180) = 3.14159

RANK(expression, ['asc' | 'desc'])

Retorna a posição na classificação da concorrência padrão para a linha atual da partição. Valores idênticos são colocados em uma posição na classificação idêntica. Use o argumento opcional 'asc' | 'desc' para especificar a ordem crescente ou decrescente. O padrão é decrescente.

Com esta função, o conjunto de valores (6, 9, 9, 14) seria classificado (4, 2, 2, 1).

Os nulos são ignorados em funções de classificação. Eles não são numerados e não são contabilizados para o número total de registros em cálculos de posição na classificação percentil.

Para obter informações sobre opções de classificação diferentes, consulte Cálculo da posição na classificação.

Exemplo

A imagem a seguir mostra o efeito das várias funções de classificação (RANK, RANK_DENSE, RANK_MODIFIED, RANK_PERCENTILE e RANK_UNIQUE) sobre um conjunto de valores. O conjunto de dados contém informações sobre 14 alunos (do AlunoA até o AlunoN); a coluna Idade mostra a idade atual de cada aluno (todos entre 17 e 20 anos). As colunas restantes mostram o efeito de cada função do ranking no conjunto de valores de idade, sempre assumindo a ordem padrão (ascendente ou descendente) para a função.

RANK_DENSE(expression, ['asc' | 'desc'])

Retorna a posição na classificação densa para a linha atual na partição. Para valores idênticos, são atribuídos uma mesma posição na classificação, mas nenhuma lacuna é inserida na sequência numérica. Use o argumento opcional 'asc' | 'desc' para especificar a ordem crescente ou decrescente. O padrão é decrescente.

Com esta função, o conjunto de valores (6, 9, 9, 14) seria classificado (3, 2, 2, 1).

Os nulos são ignorados em funções de classificação. Eles não são numerados e não são contabilizados para o número total de registros em cálculos de posição na classificação percentil.

Para obter informações sobre opções de classificação diferentes, consulte Cálculo da posição na classificação.

RANK_MODIFIED(expression, ['asc' | 'desc'])

Retorna a posição na classificação da concorrência modificada para a linha atual na partição. Valores idênticos são colocados em uma posição na classificação idêntica. Use o argumento opcional 'asc' | 'desc' para especificar a ordem crescente ou decrescente. O padrão é decrescente.

Com esta função, o conjunto de valores (6, 9, 9, 14) seria classificado (4, 3, 3, 1).

Os nulos são ignorados em funções de classificação. Eles não são numerados e não são contabilizados para o número total de registros em cálculos de posição na classificação percentil.

Para obter informações sobre opções de classificação diferentes, consulte Cálculo da posição na classificação.

RANK_PERCENTILE(expression, ['asc' | 'desc'])

Retorna a posição na classificação percentil para a linha atual na partição. Use o argumento opcional 'asc' | 'desc' para especificar a ordem crescente ou decrescente. O padrão é crescente.

Com esta função, o conjunto de valores (6, 9, 9, 14) seria classificado (0,25, 0,75, 0,75, 1,00).

Os nulos são ignorados em funções de classificação. Eles não são numerados e não são contabilizados para o número total de registros em cálculos de posição na classificação percentil.

Para obter informações sobre opções de classificação diferentes, consulte Cálculo da posição na classificação.

RANK_UNIQUE(expression, ['asc' | 'desc'])

Retorna a posição na classificação exclusiva para a linha atual na partição. Para valores idênticos, são atribuídas diferentes posições na classificação. Use o argumento opcional 'asc' | 'desc' para especificar a ordem crescente ou decrescente. O padrão é decrescente.

Com esta função, o conjunto de valores (6, 9, 9, 14) seria classificado (4, 2, 3, 1).

Os nulos são ignorados em funções de classificação. Eles não são numerados e não são contabilizados para o número total de registros em cálculos de posição na classificação percentil.

Para obter informações sobre opções de classificação diferentes, consulte Cálculo da posição na classificação.

RAWSQL_BOOL(“sql_expr”, [arg1], …[argN])

Retorna um resultado booliano de uma determinada expressão SQL. A expressão SQL é passada diretamente ao banco de dados subjacente. Use %n na expressão SQL como uma sintaxe substituta para os valores de banco de dados.

Exemplo

No exemplo, %1 é igual a [Sales] e %2 é igual a [Profit].

RAWSQL_BOOL(“IIF( %1 > %2, True, False)”, [Sales], [Profit])

RAWSQL_DATE(“sql_expr”, [arg1], …[argN])

Retorna um resultado de Data de uma determinada expressão SQL. A expressão SQL é passada diretamente ao banco de dados subjacente. Use %n na expressão SQL como uma sintaxe substituta para os valores de banco de dados.

Exemplo

Neste exemplo, %1 é igual a [Order Date].

RAWSQL_DATE(“%1”, [Order Date])

RAWSQL_DATETIME(“sql_expr”, [arg1], …[argN])

Retorna um resultado de Data e hora de uma determinada expressão SQL. A expressão SQL é passada diretamente ao banco de dados subjacente. Use %n na expressão SQL como uma sintaxe substituta para os valores de banco de dados. Neste exemplo, %1 é igual a [Delivery Date].

Exemplo

RAWSQL_DATETIME(“MIN(%1)”, [Delivery Date])

RAWSQL_INT(“sql_expr”, [arg1], …[argN])

Retorna um resultado de inteiro de uma determinada expressão SQL. A expressão SQL é passada diretamente ao banco de dados subjacente. Use %n na expressão SQL como uma sintaxe substituta para os valores de banco de dados. Neste exemplo, %1 é igual a [Sales].

Exemplo

RAWSQL_INT(“500 + %1”, [Sales])

RAWSQL_REAL(“sql_expr”, [arg1], …[argN])

Retorna um resultado numérico de uma expressão SQL conhecida que é passada diretamente ao banco de dados subjacente. Use %n na expressão SQL como uma sintaxe substituta para os valores de banco de dados. Neste exemplo, %1 é igual a [Sales]

Exemplo

RAWSQL_REAL(“-123.98 * %1”, [Sales])

RAWSQL_SPATIAL

Retorna um espacial de uma determinada expressão SQL que é passada diretamente para a fonte de dados subjacente. Use %n na expressão SQL como uma sintaxe substituta para os valores de banco de dados.

Exemplo

Neste exemplo, %1 é igual a [Geometry].

RAWSQL_SPATIAL("%1", [Geometry])

RAWSQL_STR(“sql_expr”, [arg1], …[argN])

Retorna uma cadeia de caracteres de uma expressão SQL conhecida que é passada diretamente ao banco de dados subjacente. Use %n na expressão SQL como uma sintaxe substituta para os valores de banco de dados. Neste exemplo, %1 é igual a [Customer Name].

Exemplo

RAWSQL_STR(“%1”, [Customer Name])

RAWSQLAGG_BOOL(“sql_expr”, [arg1], …[argN])

Retorna um resultado booliano de uma determinada expressão SQL de agregação. A expressão SQL é passada diretamente ao banco de dados subjacente. Use %n na expressão SQL como uma sintaxe substituta para os valores de banco de dados.

Exemplo

No exemplo, %1 é igual a [Sales] e %2 é igual a [Profit].

RAWSQLAGG_BOOL(“SUM( %1) >SUM( %2)”, [Sales], [Profit])

RAWSQLAGG_DATE(“sql_expr”, [arg1], …[argN])

Retorna um resultado de Data de uma determinada expressão SQL de agregação. A expressão SQL é passada diretamente ao banco de dados subjacente. Use %n na expressão SQL como uma sintaxe substituta para os valores de banco de dados. Neste exemplo, %1 é igual a [Order Date].

Exemplo

RAWSQLAGG_DATE(“MAX(%1)”, [Order Date])

RAWSQLAGG_DATETIME(“sql_expr”, [arg1], …[argN])

Retorna um resultado de Data e hora de uma determinada expressão SQL de agregação. A expressão SQL é passada diretamente ao banco de dados subjacente. Use %n na expressão SQL como uma sintaxe substituta para os valores de banco de dados. Neste exemplo, %1 é igual a [Delivery Date].

Exemplo

RAWSQLAGG_DATETIME(“MIN(%1)”, [Delivery Date])

RAWSQLAGG_INT(“sql_expr”, [arg1,] …[argN])

Retorna um resultado de inteiro de uma determinada expressão SQL de agregação. A expressão SQL é passada diretamente ao banco de dados subjacente. Use %n na expressão SQL como uma sintaxe substituta para os valores de banco de dados. Neste exemplo, %1 é igual a [Sales].

Exemplo

RAWSQLAGG_INT(“500 + SUM(%1)”, [Sales])

RAWSQLAGG_REAL(“sql_expr”, [arg1,] …[argN])

Retorna um resultado numérico de uma expressão SQL agregada que é passada diretamente ao banco de dados subjacente. Use %n na expressão SQL como uma sintaxe substituta para os valores de banco de dados. Neste exemplo, %1 é igual a [Sales]

Exemplo

RAWSQLAGG_REAL(“SUM( %1)”, [Sales])

RAWSQLAGG_STR(“sql_expr”, [arg1,] …[argN])

Retorna uma cadeia de caracteres de uma expressão SQL agregada conhecida que é passada diretamente ao banco de dados subjacente. Use %n na expressão SQL como uma sintaxe substituta para os valores de banco de dados. Neste exemplo, %1 é igual a [Discount].

Exemplo

RAWSQLAGG_STR(“AVG(%1)”, [Discount])


REGEXP_REPLACE(string, padrão, substituição)

Retorna uma cópia de uma cadeia de caracteres determinada, onde o padrão de expressão regular é substituído pela cadeia de caracteres de substituição. Esta função está disponível para fontes de dados de arquivo de texto, Hadoop Hive, Google BigQuery, PostgreSQL, Extração de dados do Tableau, Microsoft Excel, Salesforce, Vertica, Pivotal Greenplum, Teradata (versão 14.1 e posterior), Snowflake e Oracle.

Para extrações de dados do Tableau, o padrão e a reposição devem ser constantes.

Para obter mais informações sobre sintaxe de expressão regular, consulte a documentação da sua fonte de dados. Para extrações do Tableau, a sintaxe da expressão regular atende aos padrões de ICU (International Components for Unicode), um projeto de fonte aberta de bibliotecas de C/C++ e Java antigas para suporte de Unicode, internacionalização de software e globalização de software. Consulte a página Regular Expressions(O link abre em nova janela) (Expressões regulares) no ICU User Guide, disponível on-line.

Exemplo

REGEXP_REPLACE('abc 123', '\s', '-') = 'abc-123'

REGEXP_MATCH(cadeia de caracteres, padrão)

Retorna true se uma subcadeia de caracteres de uma cadeia de caracteres específica corresponder ao padrão de expressão regular. Esta função está disponível para fontes de dados de arquivo de texto, Google BigQuery, PostgreSQL, Extração de dados do Tableau, Microsoft Excel, Salesforce, Vertica, Pivotal Greenplum, Teradata (versão 14.1 e posterior), Impala 2.3.0 (por meio de fontes de dados do Cloudera Hadoop), Snowflake e Oracle.

Para extrações de dados do Tableau, o padrão deve ser uma constante.

Para obter mais informações sobre sintaxe de expressão regular, consulte a documentação da sua fonte de dados. Para extrações do Tableau, a sintaxe da expressão regular atende aos padrões de ICU (International Components for Unicode), um projeto de fonte aberta de bibliotecas de C/C++ e Java antigas para suporte de Unicode, internacionalização de software e globalização de software. Consulte a página Regular Expressions(O link abre em nova janela) (Expressões regulares) no ICU User Guide, disponível on-line.

Exemplo

REGEXP_MATCH('-([1234].[The.Market])-','\[\s*(\w*\.)(\w*\s*\])')=true

REGEXP_EXTRACT(cadeia de caracteres, padrão)

Retorna a parte de uma cadeia de caracteres que corresponda ao padrão de expressão regular. Esta função está disponível para fontes de dados de arquivo de texto, Hadoop Hive, Google BigQuery, PostgreSQL, Extração de dados do Tableau, Microsoft Excel, Salesforce, Vertica, Pivotal Greenplum, Teradata (versão 14.1 e posterior), Snowflake e Oracle.

Para extrações de dados do Tableau, o padrão deve ser uma constante.

Para obter mais informações sobre sintaxe de expressão regular, consulte a documentação da sua fonte de dados. Para extrações do Tableau, a sintaxe da expressão regular atende aos padrões de ICU (International Components for Unicode), um projeto de fonte aberta de bibliotecas de C/C++ e Java antigas para suporte de Unicode, internacionalização de software e globalização de software. Consulte a página Regular Expressions(O link abre em nova janela) (Expressões regulares) no ICU User Guide, disponível on-line.

Exemplo

REGEXP_EXTRACT('abc 123', '[a-z]+\s+(\d+)') = '123'

REGEXP_EXTRACT_NTH(cadeia de caracteres, padrão, início)

Retorna a parte de uma cadeia de caracteres que corresponda ao padrão de expressão regular. A subcadeia é comparada com o grupo de captura nth, onde n é o índice dado. Se o índice for 0, toda a cadeia de caracteres é retornada. Esta função está disponível para fontes de dados de arquivo de texto, PostgreSQL, Extração de dados do Tableau, Microsoft Excel, Salesforce, HP Vertica, Pivotal Greenplum, Teradata (versão 14.1 e posterior) e Oracle.

Para extrações de dados do Tableau, o padrão deve ser uma constante.

Para obter mais informações sobre sintaxe de expressão regular, consulte a documentação da sua fonte de dados. Para extrações do Tableau, a sintaxe da expressão regular atende aos padrões de ICU (International Components for Unicode), um projeto de fonte aberta de bibliotecas de C/C++ e Java antigas para suporte de Unicode, internacionalização de software e globalização de software. Consulte a página Regular Expressions(O link abre em nova janela) (Expressões regulares) no ICU User Guide, disponível on-line.

Exemplo

REGEXP_EXTRACT_NTH('abc 123', '([a-z]+)\s+(\d+)', 2) = '123'

REPLACE(string, substring, replacement)

Procura em string por substring e substitui por replacement. Se a substring não for encontrada, a string não será alterada.

Exemplo

REPLACE("Version8.5", "8.5", "9.0") = "Version9.0"

RIGHT(string, number)

Retorna o número de caracteres na extremidade direita em string.

Exemplo

RIGHT("Calculation", 4) = "tion"

ROUND(number, [decimals])

Arredonda os números para um número de dígitos especificado. O argumento decimals especifica quantos pontos decimais de precisão são necessários incluir no resultado final. Se decimals for omitido, number será arredondado para o inteiro mais próximo.

Exemplo

Este exemplo arredonda todos os valores de Sales para um inteiro:

ROUND(Sales)

Alguns bancos de dados, como o SQL Server, permitem a especificação de um length negativo, em que -1 arredonda o number para múltiplos de 10, -2 arredonda para múltiplos de 100, etc. Isso não é válido para todos os bancos de dados. Por exemplo, isso não é verdadeiro para o Excel ou o Access.

RTRIM(string)

Retorna string com os espaços à direita removidos.

Exemplo

RTRIM(" Calculation ") = " Calculation"

RTRIM_THIS(cadeia de caracteres, cadeia de caracteres)

Observação : compatível somente quando conectado ao Google BigQuery

Retorna a primeira cadeia de caracteres com qualquer ocorrência da segunda cadeia de caracteres à direita removida.

Exemplo

RTRIM_THIS('[-Market-]','-]') = '[-Market'

RUNNING_AVG(expression)

Retorna a média em execução da expressão especificada a partir da primeira linha na partição para a linha atual.

A exibição a seguir mostra as vendas trimestrais. Quando RUNNING_AVG(SUM([Sales]) é calculado na partição Date, o resultado é uma média em execução dos valores de vendas de cada trimestre.

Exemplo

RUNNING_AVG(SUM([Profit])) calcula a média em execução de SUM(Profit).

RUNNING_COUNT(expression)

Retorna a contagem em execução da expressão especificada a partir da primeira linha na partição para a linha atual.

Exemplo

RUNNING_COUNT(SUM([Profit])) calcula a contagem em execução de SUM(Profit).

RUNNING_MAX(expression)

Retorna o máximo em execução da expressão especificada a partir da primeira linha na partição para a linha atual.

Exemplo

RUNNING_MAX(SUM([Profit])) calcula o máximo em execução de SUM(Profit).

RUNNING_MIN(expression)

Retorna o mínimo em execução da expressão especificada a partir da primeira linha na partição para a linha atual.

Exemplo

RUNNING_MIN(SUM([Profit])) calcula o mínimo em execução de SUM(Profit).

RUNNING_SUM(expression)

Retorna a soma em execução da expressão especificada a partir da primeira linha na partição para a linha atual.

Exemplo

RUNNING_SUM(SUM([Profit])) calcula a soma em execução de SUM(Profit)

SCRIPT_BOOL

Retorna um resultado Booliano da expressão especificada. A expressão é passada diretamente para uma instância de serviço externo em execução.

Nas expressões R, use .argn (com um ponto à frente) para fazer referência a parâmetros (.arg1, .arg2 etc.).

Nas expressões de Python, use _argn (com um sublinhado à frente).

Exemplos

Neste exemplo R, .arg1 é igual a SUM([Profit]):

SCRIPT_BOOL("is.finite(.arg1)", SUM([Profit]))

O próximo exemplo retorna True para IDs de loja no estado de Washington e False para os demais. Este exemplo poderia ser a definição de um campo calculado intitulado IsStoreInWA.

SCRIPT_BOOL('grepl(".*_WA", .arg1, perl=TRUE)',ATTR([Store ID]))

Um comando do Python seria dessa forma:

SCRIPT_BOOL("return map(lambda x : x > 0, _arg1)", SUM([Profit]))

SCRIPT_INT

Retorna um resultado do inteiro da expressão especificada. A expressão é passada diretamente para uma instância de serviço externo em execução.

Nas expressões R, use .argn (com um ponto à frente) para fazer referência a parâmetros (.arg1, .arg2 etc.).

Nas expressões de Python, use _argn (com um sublinhado à frente).

Exemplos

Neste exemplo R, .arg1 é igual a SUM([Profit]):

SCRIPT_INT("is.finite(.arg1)", SUM([Profit]))

No próximo exemplo, o agrupamento k-means é usado para criar três clusters:

SCRIPT_INT('result <- kmeans(data.frame(.arg1,.arg2,.arg3,.arg4), 3);result$cluster;', SUM([Petal length]), SUM([Petal width]),SUM([Sepal length]),SUM([Sepal width]))

Um comando do Python seria dessa forma:

SCRIPT_INT("return map(lambda x : int(x * 5), _arg1)", SUM([Profit]))

SCRIPT_REAL

Retorna um resultado real da expressão especificada. A expressão é passada diretamente para uma instância de serviço externo em execução. No

Nas expressões R, use .argn (com um ponto à frente) para fazer referência a parâmetros (.arg1, .arg2 etc.).

Nas expressões de Python, use _argn (com um sublinhado à frente).

Exemplos

Neste exemplo R, .arg1 é igual a SUM([Profit]):

SCRIPT_REAL("is.finite(.arg1)", SUM([Profit]))

O próximo exemplo converte valores de temperatura de Celsius em Fahrenheit.

SCRIPT_REAL('library(udunits2);ud.convert(.arg1, "celsius", "degree_fahrenheit")',AVG([Temperature]))

Um comando do Python seria dessa forma:

SCRIPT_REAL("return map(lambda x : x * 0.5, _arg1)", SUM([Profit]))

SCRIPT_STR

Retorna um resultado da cadeia de caracteres da expressão especificada. A expressão é passada diretamente para uma instância de serviço externo em execução.

Nas expressões R, use .argn (com um ponto à frente) para fazer referência a parâmetros (.arg1, .arg2 etc.).

Nas expressões de Python, use _argn (com um sublinhado à frente).

Exemplos

Neste exemplo R, .arg1 é igual a SUM([Profit]):

SCRIPT_STR("is.finite(.arg1)", SUM([Profit]))

O próximo exemplo extrai uma abreviação de estado de uma cadeia de caracteres mais complicada (na forma original 13XSL_CA, A13_WA):

SCRIPT_STR('gsub(".*_", "", .arg1)',ATTR([Store ID]))

Um comando do Python seria dessa forma:

SCRIPT_STR("return map(lambda x : x[:2], _arg1)", ATTR([Region]))

SIGN(number)

Retorna o sinal de um número: os valores de retorno possíveis são: -1 se o número for negativo, 0 se o número for zero ou 1 se o número for positivo.

Exemplo

Se a média do campo de lucro for negativa,

SIGN(AVG(Profit)) = -1

SIN(number)

Retorna o seno de um ângulo. Especifique o ângulo em radianos.

Exemplo

SIN(0) = 1.0

SIN(PI( )/4) = 0.707106781186548

SIZE()

Retorna o número de linhas na partição. Por exemplo, a exibição a seguir mostra as vendas trimestrais. Na partição Date, há sete linhas, portanto, o Size() da partição Date é 7.

Exemplo

SIZE() = 5 quando a partição atual contém cinco linhas.

SPACE(number)

Retorna uma cadeia de caracteres composta por number especificado de espaços repetidos.

Exemplo

SPACE(1) = " "

DIVIDIR (cadeia de caracteres, delimitador, número do token)

Retorna uma subcadeia de uma cadeia de caracteres, usando um caractere delimitador para dividir a cadeia de caracteres em uma sequência de tokens.

A cadeia de caracteres é interpretada como uma sequência alternada de delimitadores e tokens. Então, para a cadeia de caracteres abc-defgh-i-jkl, onde o caractere delimitador é ‘-‘, os tokens são abc, defgh, i, e jlk. Pense neles como tokens de 1 a 4. DIVIDIR retorna o token correspondente ao número de token. Quando o número do token for positivo, os tokens são contados a partir do lado esquerdo da cadeia de caracteres; quando o número do token for negativo, os tokens são contados da direita.

Exemplos

SPLIT (‘a-b-c-d’, ‘-‘, 2) = ‘b’

SPLIT (‘a|b|c|d’, ‘|‘, -2) = ‘c’

Observação: os comandos de divisão e divisão personalizada estão disponíveis para os tipos de fontes de dados a seguir: extrações de dados do Tableau, Microsoft Excel, arquivo de texto, arquivo PDF, Salesforce, OData, Microsoft Azure Market Place, Google Analytics, Vertica, Oracle, MySQL, PostgreSQL, Teradata, Amazon Redshift, Aster Data, Google Big Query, Cloudera Hadoop Hive, Hortonworks Hive e Microsoft SQL Server.

Algumas fontes de dados impõe limites à cadeia de caracteres de divisão. A tabela a seguir mostra quais as fontes de dados que suportam números negativos de token (divisão da direita) e se existe um limite para o número de divisões permitidas por fonte de dados. Uma função de DIVISÃO que especifica um número de token negativo e seria legítimo com outras fontes de dados retornará este erro com essas fontes de dados: “A divisão a partir da direita não é compatível com a fonte de dados.”

Fonte de dados Restrições de direita/esquerda Número máximo de divisões Limitações de versão
Extração de dados do Tableau Ambos Infinito  
Microsoft Excel Ambos Infinito  
Arquivo de texto Ambos Infinito  
Salesforce Ambos Infinito  
OData Ambos Infinito  
Google Analytics Ambos Infinito  
Servidor de dados do Tableau Ambos Infinito Compatível com a versão 9.0.
Vertica Esquerda apenas 10  
Oracle Esquerda apenas 10  
MySQL Ambos 10  
PostgreSQL Esquerda somente antes da versão 9.0; para a versão 9.0 e posteriores 10  
Teradata Esquerda apenas 10 Versão 14 e posteriores
Amazon Redshift Esquerda apenas 10  
Aster Database Esquerda apenas

10

 
Google BigQuery Esquerda apenas 10  
Hortonworks Hadoop Hive Esquerda apenas 10  
Cloudera Hadoop Esquerda apenas 10 Impala compatível a partir da versão 2.3.0.
Microsoft SQL Server Ambos 10 2008 e posteriores

SQRT(number)

Retorna a raiz quadrada de um número.

Exemplo

SQRT(25) = 5

SQUARE(number)

Retorna o quadrado de um número.

Exemplo

SQUARE(5) = 25

STARTSWITH(string, substring)

Retornará true se string começar com substring. Espaços em branco à esquerda são ignorados.

Exemplo

STARTSWITH(“Joker”, “Jo”) = true

STDEV(expression)

Retorna o desvio padrão estatístico de todos os valores na expressão atribuída com base em uma amostra da população.

STDEVP(expression)

Retorna o desvio padrão estatístico de todos os valores na expressão atribuída com base em uma tendência de população.

STR(expression)

Converte seu argumento como uma cadeia de caracteres.

Exemplo

STR([Age]) pega todos os valores na medida chamados Age e os converte em strings.

SUM(expression)

Retorna a soma de todos os valores na expressão. SUM pode ser usada com campos numéricos apenas. Os valores nulos são ignorados.

TAN(number)

Retorna a tangente de um ângulo. Especifique o ângulo em radianos.

Exemplo

TAN(PI ( )/4) = 1.0

TIMESTAMP_TO_USEC(expressão)

Observação : compatível somente quando conectado ao Google BigQuery

Converte um tipo de dado TIMESTAMP em um carimbo de data/hora UNIX em microssegundos.

Exemplo

TIMESTAMP_TO_USEC(#2012-10-01 01:02:03#)=1349053323000000

TLD(string_url)

Observação : compatível somente quando conectado ao Google BigQuery

Dada uma cadeia de caracteres de URL, retorna o domínio de nível superior mais qualquer domínio de país na URL.

Exemplo

TLD('http://www.google.com:80/index.html') = '.com'

TLD('http://www.google.co.uk:80/index.html') = '.co.uk'

TODAY( )

Retorna a data atual.

Exemplo

TODAY( ) = 2004-04-15

TOTAL(expression)

Retorna o número total da expressão fornecida em uma divisão do cálculo de tabela.

Exemplo

Suponha que você está começando com esta exibição:

Você abre o editor de cálculo e cria um novo campo nomeado de Totalidade:

Em seguida, solte o campo Totalidade em Texto para substituir SUM(Sales). Suas exibições são alteradas de tal forma, que ela soma os valores com base no valor padrão de Calcular usando:

Isso levanta a questão, qual é o valor padrão de Calcular usando? Se você clicar com o botão direito do mouse (clique pressionando a tecla Control, no Mac) na Totalidade, no painel de Dados, e escolher Editar, haverá um pouco de informação adicional disponível:

O valor padrão de Calcular usando é uma Tabela (horizontal). O resultado é que a Totalidade é soma dos valores em cada linha da tabela. Assim, o valor visualizado em cada linha é a soma dos valores da versão original da tabela.

Os valores na linha 2011/Q1 na tabela original foram de US$ 8.601,00; US$ 6.579,00; US$ 44.262,00; e US$ 15.006,00. Os valores na tabela após a Totalidade substituem a SUM(Sales) com um total de US $74.448,00; que é a soma dos quatro valores originais.

Observe o triângulo ao lado de Totalidade depois de soltá-lo em Texto:

Isso indica que este campo está usando um cálculo de tabela. Você pode clicar com o botão direito do mouse no campo e escolher Editar o cálculo de tabela para redirecionar a sua função para um valor de Calcular usando diferente. Por exemplo, você pode defini-lo para Tabela (vertical). Nesse caso, a tabela ficaria assim:

TRIM(string)

Retorna a cadeia de caracteres com os espaços à esquerda e à direita removidos. Por exemplo, TRIM(" Calculation ") = "Calculation"

UPPER(string)

Retorna string, com todos os caracteres maiúsculos.

Exemplo

UPPER("Calculation") = "CALCULATION"

USEC_TO_TIMESTAMP(expressão)

Observação : compatível somente quando conectado ao Google BigQuery

Converte um carimbo de data/hora UNIX em microssegundos em um tipo de dados TIMESTAMP.

Exemplo

USEC_TO_TIMESTAMP(1349053323000000) = #2012-10-01 01:02:03#

USERDOMAIN()

Retorna o domínio do usuário atual quando o usuário está conectado no Tableau Server. Retorna o domínio do Windows se o usuário do Tableau Desktop estiver em um domínio. Caso contrário, essa função retornará uma cadeia de caracteres nula.

Exemplo

[Manager]=USERNAME() AND [Domain]=USERDOMAIN()

USERNAME( )

Retorna o nome de usuário do usuário atual. Esse é o nome de usuário do Tableau Server ou Tableau Online quando o usuário está conectado; caso contrário, é o local ou nome de usuário da rede para o usuário do Tableau Desktop.

Exemplo

[Manager]=USERNAME( )

Se o gerente dhallsten tivesse entrado, essa função só retornaria True quando o campo Gerente na exibição fosse dhallsten. Quando usado como um filtro, esse campo calculado pode ser usado para criar um filtro de usuário que mostra apenas dados relevantes para a pessoa que entrou no servidor.

VAR(expression)

Retorna a variação estatística de todos os valores na expressão atribuída com base em uma amostra da população.

VARP(expression)

Retorna a variação estatística de todos os valores na expressão atribuída com base na população inteira.

WINDOW_AVG(expression, [start, end])

Retorna a média da expressão na janela. A janela é definida por meio de compensações da linha atual. Use FIRST()+n e LAST()-n como compensações da primeira ou última linha na partição. Se o início e o fim forem omitidos, toda a partição será usada.

Por exemplo, a exibição a seguir mostra as vendas trimestrais. Uma média de janela na partição Date retorna a média de vendas em todas as datas.

Exemplo

WINDOW_AVG(SUM([Profit]), FIRST()+1, 0) calcula a média de SUM(Profit) a partir da segunda linha até a linha atual.

WINDOW_CORR(expression1, expression2, [start, end])

Retorna o coeficiente de correlação Pearson de duas expressões dentro da janela. A janela é definida como desvios em relação à linha atual. Use FIRST()+n e LAST()-n como compensações da primeira ou última linha na partição. Se o início e o fim forem omitidos, toda a partição será usada.

A correlação Pearson mede a relação linear entre duas variáveis. Os resultados variam de -1 a +1 inclusive, em que 1 denota uma relação linear positiva e exata, quando uma alteração positiva em uma variável implica na alteração positiva da magnitude correspondente da outra variável, 0 denota nenhuma relação linear entre a variância e −1 é uma relação negativa exata.

Há uma função de agregação equivalente: CORR.

Exemplo

A fórmula a seguir retorna a correlação Pearson de SUM(Profit) e SUM(Sales) das cinco linhas anteriores à linha atual.

WINDOW_CORR(SUM[Profit]), SUM([Sales]), -5, 0)

WINDOW_COUNT(expression, [start, end])

Retorna a contagem da expressão na janela. A janela é definida por meio de compensações da linha atual. Use FIRST()+n e LAST()-n como compensações da primeira ou última linha na partição. Se o início e o fim forem omitidos, toda a partição será usada.

Exemplo

WINDOW_COUNT(SUM([Profit]), FIRST()+1, 0) calcula a contagem de SUM(Profit) a partir da segunda linha até a linha atual

WINDOW_COVAR(expression1, expression2, [start, end])

Retorna a covariância de amostra de duas expressões dentro da janela. A janela é definida como desvios em relação à linha atual. Use FIRST()+n e LAST()-n como compensações da primeira ou última linha na partição. Se os argumentos iniciais e finais forem omitidos, a janela será toda a partição.

A covariância de amostra usa o número de pontos de dados não nulos, n - 1, para normalizar o cálculo da covariância, em vez de n, que é usado pela covariância populacional (disponível com a função WINDOWS_COVARP). A covariância de amostra é a escolha apropriada quando os dados são uma amostra aleatória sendo usada para estimar a covariância de uma população maior.

Há uma função de agregação equivalente: COVAR.

Exemplo

A fórmula a seguir retorna a covariância de amostra de SUM(Profit) e SUM(Sales) das duas linhas anteriores à linha atual.

WINDOW_COVAR(SUM([Profit]), SUM([Sales]), -2, 0)

WINDOW_COVARP(expression1, expression2, [start, end])

Retorna a covariância populacional de duas expressões dentro da janela. A janela é definida como desvios em relação à linha atual. Use FIRST()+n e LAST()-n como compensações da primeira ou última linha na partição. Se o início e o fim forem omitidos, toda a partição será usada.

A covariância populacional é a covariância de amostra multiplicada por (n-1)/n, em que n é o número total de pontos de dados não nulos. A covariância populacional é a escolha apropriada quando há dados disponíveis para todos os itens de interesse, ao invés de somente um subconjunto aleatório de itens, em que a covariância de amostra (com a função WINDOWS_COVAR) é apropriada.

Há uma função de agregação equivalente: COVARP. Consulte Funções do Tableau (em ordem alfabética)(O link abre em nova janela).

Exemplo

A fórmula a seguir retorna a covariância populacional de SUM(Profit) e SUM(Sales) das duas linhas anteriores à linha atual.

WINDOW_COVARP(SUM([Profit]), SUM([Sales]), -2, 0)

WINDOW_MEDIAN(expression, [start, end])

Retorna o mediano da expressão na janela. A janela é definida por meio de compensações da linha atual. Use FIRST()+n e LAST()-n como compensações da primeira ou última linha na partição. Se o início e o fim forem omitidos, toda a partição será usada.

Por exemplo, a exibição a seguir mostra o lucro trimestral. Um mediano de janela na partição Date retorna o lucro médio em todas as datas.

Exemplo

WINDOW_MEDIAN(SUM([Profit]), FIRST()+1, 0) calcula o mediano de SUM(Profit) a partir da segunda linha até a linha atual.

WINDOW_MAX(expression, [start, end])

Retorna o máximo da expressão na janela. A janela é definida por meio de compensações da linha atual. Use FIRST()+n e LAST()-n como compensações da primeira ou última linha na partição. Se o início e o fim forem omitidos, toda a partição será usada.

Por exemplo, a exibição a seguir mostra as vendas trimestrais. Uma máxima de janela na partição Date retorna o máximo de vendas em todas as datas.

Exemplo

WINDOW_MAX(SUM([Profit]), FIRST()+1, 0) calcula o máximo de SUM(Profit) a partir da segunda linha até a linha atual.

WINDOW_MIN(expression, [start, end])

Retorna o mínimo da expressão na janela. A janela é definida por meio de compensações da linha atual. Use FIRST()+n e LAST()-n como compensações da primeira ou última linha na partição. Se o início e o fim forem omitidos, toda a partição será usada.

Por exemplo, a exibição a seguir mostra as vendas trimestrais. Um mínimo de janela na partição Date retorna o mínimo de vendas em todas as datas.

Exemplo

WINDOW_MIN(SUM([Profit]), FIRST()+1, 0) calcula o mínimo de SUM(Profit) a partir da segunda linha até a linha atual.

WINDOW_PERCENTILE(expression, number, [start, end])

Retorna o valor correspondente ao percentil especificado dentro da janela. A janela é definida por meio de compensações da linha atual. Use FIRST()+n e LAST()-n como compensações da primeira ou última linha na partição. Se o início e o fim forem omitidos, toda a partição será usada.

Exemplo

WINDOW_PERCENTILE(SUM([Profit]), 0.75, -2, 0) retorna o 75º percentil para SUM(Profit) das duas linhas anteriores para a linha atual.

WINDOW_STDEV(expression, [start, end])

Retorna o desvio padrão de exemplo da expressão na janela. A janela é definida por meio de compensações da linha atual. Use FIRST()+n e LAST()-n como compensações da primeira ou última linha na partição. Se o início e o fim forem omitidos, toda a partição será usada.

Exemplo

WINDOW_STDEV(SUM([Profit]), FIRST()+1, 0) calcula o desvio padrão de SUM(Profit) a partir da segunda linha até a linha atual.

WINDOW_STDEVP(expression, [start, end])

Retorna o desvio padrão tendencioso da expressão na janela. A janela é definida por meio de compensações da linha atual. Use FIRST()+n e LAST()-n como compensações da primeira ou última linha na partição. Se o início e o fim forem omitidos, toda a partição será usada.

Exemplo

WINDOW_STDEVP(SUM([Profit]), FIRST()+1, 0) calcula o desvio padrão de SUM(Profit) a partir da segunda linha até a linha atual.

WINDOW_SUM(expression, [start, end])

Retorna a soma da expressão na janela. A janela é definida por meio de compensações da linha atual. Use FIRST()+n e LAST()-n como compensações da primeira ou última linha na partição. Se o início e o fim forem omitidos, toda a partição será usada.

Por exemplo, a exibição a seguir mostra as vendas trimestrais. Uma soma de janela na partição Date retorna a soma de vendas em todos os trimestres.

Exemplo

WINDOW_SUM(SUM([Profit]), FIRST()+1, 0) calcula a soma de SUM(Profit) a partir da segunda linha até a linha atual.

WINDOW_VAR(expression, [start, end])

Retorna a variação da expressão na janela. A janela é definida por meio de compensações da linha atual. Use FIRST()+n e LAST()-n como compensações da primeira ou última linha na partição. Se o início e o fim forem omitidos, toda a partição será usada.

Exemplo

WINDOW_VAR((SUM([Profit])), FIRST()+1, 0) calcula a variância de SUM(Profit) a partir da segunda linha até a linha atual.

WINDOW_VARP(expression, [start, end])

Retorna a variação tendenciosa da expressão na janela. A janela é definida por meio de compensações da linha atual. Use FIRST()+n e LAST()-n como compensações da primeira ou última linha na partição. Se o início e o fim forem omitidos, toda a partição será usada.

Exemplo

WINDOW_VARP(SUM([Profit]), FIRST()+1, 0) calcula a variância de SUM(Profit) a partir da segunda linha até a linha atual.

XPATH_BOOLEAN(cadeia de caracteres XML, cadeia de caracteres da expressão XPath)

Observação: compatível somente quando conectado ao Hadoop Hive

Retorna verdadeiro se a expressão XPath corresponde a um nó ou é avaliada como verdadeira.

Exemplo

XPATH_BOOLEAN('<values> <value id="0">1</value><value id="1">5</value>', 'values/value[@id="1"] = 5') = true

XPATH_DOUBLE(cadeia de caracteres XML, cadeia de caracteres da expressão XPath)

Observação: compatível somente quando conectado ao Hadoop Hive

Retorna o valor de ponto flutuante da expressão XPath.

Exemplo

XPATH_DOUBLE('<values><value>1.0</value><value>5.5</value> </values>', 'sum(value/*)') = 6.5

XPATH_FLOAT(cadeia de caracteres XML, cadeia de caracteres da expressão XPath)

Observação: compatível somente quando conectado ao Hadoop Hive

Retorna o valor de ponto flutuante da expressão XPath.

Exemplo

XPATH_FLOAT('<values><value>1.0</value><value>5.5</value> </values>','sum(value/*)') = 6.5

XPATH_INT(cadeia de caracteres XML, cadeia de caracteres da expressão XPath)

Observação: compatível somente quando conectado ao Hadoop Hive

Retorna o valor numérico da expressão XPath, ou zero, se a expressão XPath não pode ser avaliada como número.

Exemplo

XPATH_INT('<values><value>1</value><value>5</value> </values>','sum(value/*)') = 6

XPATH_LONG(cadeia de caracteres XML, cadeia de caracteres da expressão XPath)

Observação: compatível somente quando conectado ao Hadoop Hive

Retorna o valor numérico da expressão XPath, ou zero, se a expressão XPath não pode ser avaliada como número.

Exemplo

XPATH_LONG('<values><value>1</value><value>5</value> </values>','sum(value/*)') = 6

XPATH_SHORT(cadeia de caracteres XML, cadeia de caracteres da expressão XPath)

Observação: compatível somente quando conectado ao Hadoop Hive

Retorna o valor numérico da expressão XPath, ou zero, se a expressão XPath não pode ser avaliada como número.

Exemplo

XPATH_SHORT('<values><value>1</value><value>5</value> </values>','sum(value/*)') = 6

XPATH_STRING(cadeia de caracteres XML, cadeia de caracteres da expressão XPath)

Observação: compatível somente quando conectado ao Hadoop Hive

Retorna o texto do primeiro nó correspondente.

Exemplo

XPATH_STRING('<sites ><url domain="org">http://www.w3.org</url> <url domain="com">http://www.tableau.com</url></sites>', 'sites/url[@domain="com"]') = 'http://www.tableau.com'


YEAR (date)

Retorna o ano da data especificada como um inteiro.

Exemplo

YEAR(#2004-04-15#) = 2004

ZN(expression)

Retorna a expressão se não for nulo, caso contrário, retorna zero. Use essa função para utilizar valores de zero, em vez de valores nulos.

Exemplo

ZN([Profit]) = [Profit]


Deseja saber mais sobre as funções?

Leia os tópicos sobre funções(O link abre em nova janela).

Consulte também

Funções do Tableau (por categoria)(O link abre em nova janela)

Funções no Tableau(O link abre em nova janela)

Agradecemos seu feedback!