Extrair seus dados

As extrações são subconjuntos de dados salvos que podem ser usados para aprimorar o desempenho ou aproveitar funcionalidades do Tableau que não estão disponíveis nos dados originais. Ao criar uma extração dos dados, é possível reduzir a quantidade total de dados com o uso de filtros e a configuração de limites. Depois de criar uma extração, é possível atualizá-la com dados provenientes dos dados originais. Ao atualizar os dados, você tem a opção de realizar uma atualização completa, substituindo todo o conteúdo da extração, ou uma atualização em incrementos, que adicionará somente linhas mais recentes que a última atualização.

As extrações são vantajosas por diversos motivos:

  • Suportam grandes conjuntos de dados: é possível criar extrações que contêm bilhões de linhas de dados.

  • Rápida criação: se estiver trabalhando com grandes conjuntos de dados, criar e trabalhar com extrações pode ser mais rápido que trabalhar com os dados originais.

  • Ajudam a aprimorar o desempenho: interagir com exibições que usam fontes de dados de extração, geralmente, oferece um desempenho melhor que interagir com exibições baseadas em conexões com os dados originais.

  • Suportam recursos adicionais: as extrações permitem aproveitar recursos do Tableau que não estão disponível ou que não são compatível com os dados originais, como a capacidade de computar Contagem distinta.

  • Fornecem acesso off-line aos dados: as extrações permitem salvar e trabalhar com os dados localmente quando os dados originais não estiverem disponíveis. Quando estiver viajando, por exemplo.

Alterações mais recentes nas extrações

Com a introdução de tabelas lógicas e físicas no modelo de dados do Tableau na versão 2020.2, as opções de armazenamento de extração mudaram de Tabela única e Várias tabelas para Tabelas lógicas e Tabelas físicas. Essas opções descrevem melhor como as extrações serão armazenadas. Para obter mais informações, consulte Decidir como os dados de extração devem ser armazenados.

A partir da versão 10.5, ao criar uma nova extração, ela usará o formato .hyper. As extrações no formato .hyper aproveitam o mecanismo de dados aprimorado, que suporta um desempenho de análise e consulta mais rápido para grandes conjuntos de dados.

Da mesma forma, quando uma tarefa relacionada a extração é executada em uma extração .tde usando a versão 10.5, ela é atualizada para uma extração .hyper. Depois que uma extração .tde é atualizada para um formato .hype, ela não pode ser revertida para o formato .tde. Para obter mais informações, consulte Atualização de extrações para o formato .hyper.

Alterações a valores e marcas na exibição

Para melhorar a eficiência e a escalabilidade, os valores nas extrações podem ser calculados de forma diferente nas versões 10.5 e posteriores em comparação às versões 10.4 e anteriores. As alterações na forma como os valores são calculados podem afetar a forma como as marcas são preenchidas na exibição. Apesar de raro, em alguns casos as mudanças podem causar alteração no formato da exibição ou fazer com que ela fique vazia. Também é possível aplicar essas alterações em fontes de dados com várias conexões, fontes de dados que usam conexões em tempo real com dados baseados em arquivos, fontes de dados que se conectam aos dados do Planilhas Google, fontes de dados na nuvem, fontes de dados de apenas extração e fontes de dados do conector de dados da Web.

Para ter uma ideia de algumas das diferenças que podem ser vistas na exibição usando a versão 2020.3, consulte as seções abaixo.

Formato dos valores de data e de data e hora

Nas versões 10.5 e posteriores, as extrações estão sujeitas a regras mais consistentes e rigorosas em relação a como as cadeias de caracteres com datas são interpretadas pelas funções DATE, DATETIME e DATEPRASE. Isso afeta a forma como as datas são analisadas ou os formatos e padrões da data permitidos para essas funções. Mais especificamente, as regras podem ser generalizadas como o seguinte:

  1. As datas são avaliadas e analisadas por coluna, não por linha.
  2. As datas são avaliadas e, em seguida, analisadas com base na localidade onde a pasta de trabalho foi criada, não na localidade do computador onde ela foi aberta.

Essas novas regras permitem que as extrações sejam mais eficientes e produzam resultados que são consistentes com bancos de dados empresariais.

Contudo, como resultado dessas regras, particularmente em cenários internacionais onde a pasta de trabalho é criada em uma localidade diferente daquela onde é aberta ou o servidor em que a pasta de trabalho é publicada, é possível notar que 1.) os valores de data e de data e hora são alterados para valores diferentes ou 2.) os valores de data e de data e hora são alterados para Nulo. Quando os valores de data e data e hora são alterados para diferentes valores ou se tornam Nulos, às vezes, isso é uma indicação de que há problemas com os dados subjacentes.

Esses são alguns dos motivos mais comuns que causam alterações nos valores de data e de data e hora da fonte de dados da extração ao usar a versão 10.5 e posteriores.

Causas comuns de alterações nos valores de data/data e hora

Causas comuns de valores nulos

  • Quando uma função tiver que analisar vários formatos de data em uma única coluna. Quando a data for ambígua e puder ser interpretada de várias maneiras diferentes, ela será interpretada com base no formato que o Tableau determinou para essa coluna. Para obter alguns exemplos, consulte Cenário de data 1 e Cenário de data 2 abaixo.
  • Quando uma função deve analisar um formato AAAA-MM-DD (ISO). Para ver um exemplo, consulte Cenário de data 3.
  • Quando uma função não tiver informações suficientes para derivar a hora, ela poderá interpretar um valor como "00:00:00.0", usando "0" para hora, minuto, segundo e milissegundo.
  • Quando uma função não tiver informações suficientes para derivar o dia, ela poderá interpretar um valor como "1" ou "Janeiro" para mês.
  • Quando uma função analisa os anos, ela é interpretada como o seguinte:
    • O ano "7" é interpretado como "2007."
    • O ano "17" é interpretado como "2017."
    • O ano "30" é interpretado como "2030."
    • O ano "69" é interpretado como "2069."
    • O ano "70" é interpretado como "1970."
  • Quando uma função tiver que analisar vários formatos de data em uma única coluna. Depois que Tableau determinar o formato da data, todas as outras datas na coluna diferentes desse formato tornam-se valores nulos. Para obter alguns exemplos, consulte Cenário de data 1 e Cenário de data 2 abaixo.
  • Quando uma função deve analisar um formato AAAA-MM-DD (ISO). Os valores que excedem o que é permitido para "AAAA", "MM" ou "DD" causam valores nulos. Para ver um exemplo, consulte Cenário de data 3.
  • Quando uma função tiver que analisar os valores de data que contêm caracteres à direita. Por exemplo, sufixos e palavras-chave de fuso horário e horário de verão, como "meia noite" causam valores nulos.
  • Quando uma função tiver que analisar uma data ou hora inválida. Por exemplo, 32/3/2012 causa um valor nulo. Em outro exemplo, 25:01:61 causa um valor nulo.
  • Quando uma função tem que analisar entradas contraditórias. Por exemplo, suponha que o padrão seja 'dd.MM (MMMM) a' e a cadeia de caracteres de entrada seja '1.09 (agosto) 2017', onde "9" e "agosto" são meses. O resultado é um valor nulo porque os valores de mês não são os mesmos.
  • Quando uma função tiver que analisar padrões contraditórios. Por exemplo, um padrão que especifica uma mistura de ano gregoriano (a) e uma semana de ISO (ss) causa valores nulos.
Cenário de data 1

Suponha que uma pasta de trabalho foi criada em uma localidade em inglês que usa uma fonte de dados de extração .tde. A tabela abaixo mostra uma coluna de dados de cadeia de caracteres contida na fonte de dados de extração.

10/31/2018
31/10/2018

12/10/2018

Com base na localidade particular em inglês, o formato da coluna de data segue o formato MDY (mês, dia e ano). As tabelas a seguir mostram o que o Tableau exibe com base nessa localidade quando a função DATE é usada para converter os valores de cadeia de caracteres em valores de data.

October 31, 2018
October 31, 2018
December 10, 2018

Se a extração estiver aberta em uma localidade em alemão, o seguinte seria visto:

31 de outubro de 2018
31 de outubro de 2018
12 de outubro de 2018

No entanto, após a extração ser aberta em uma localidade em alemão nas versões 10.5 e posteriores, o formato DMY (dia, mês e ano) da localidade em alemão é aplicado rigorosamente e gera um valor Nulo porque um dos valores não segue o formato DMY.

Nulo
October 31, 2018
October 12, 2018
Cenário de data 2

Suponha que você tenha uma outra pasta de trabalho criada em uma localidade em inglês que usa uma fonte de dados de extração .tde. A tabela abaixo mostra uma coluna de dados de data numéricos contida na fonte de dados de extração.

1112018
1212018
1312018
1412018

Com base na localidade particular em inglês, o formato da coluna de data segue o formato MDY (mês, dia e ano). As tabelas a seguir mostram o que o Tableau exibe com base nessa localidade, quando a função DATE é usada para converter os valores numéricos em valores de dados.

11/1/2018
12/1/2018
Nulo
Nulo
Cenário de data 3

Suponha que você tenha uma pasta de trabalho que usa uma fonte de dados de extração .tde. A tabela abaixo mostra uma coluna de dados de cadeia de caracteres contida na fonte de dados de extração.

2018-10-31
2018-31-10

2018-12-10

2018-10-12

Como a data usa o formato ISO, a coluna de data sempre segue o formato AAAA-MM-DD. As tabelas a seguir mostram o que o Tableau exibe quando a função DATE é usada para converter os valores de cadeia de caracteres em valores de data.

October 10, 2018
Nulo
December 10, 2018
October 12, 2018

Observação: na versão 10.4 (e anteriores), o formato ISO e outros formatos de data podem ter produzido resultados diferentes dependendo do local onde a pasta de trabalho foi criada. Em uma localização de língua inglesa, por exemplo, tanto 2018-12-10 quanto 2018/12/10 podem produzir 12 de dezembro de 2018. Contudo, em uma localização de língua alemã 2018-12-10 pode produzir 12 de dezembro de 2018 e 2018/12/10, 12 de outubro de 2018.

Ordem de classificação e sensibilidade a maiúsculas

As extrações têm suporte a colação e, por isso, podem classificar de forma mais adequada os valores de cadeia de caracteres com acentos ou com letras maiúsculas e minúsculas.

Por exemplo, imagine que precisa trabalhar com uma tabela de valores de cadeia de caracteres. Em termos de ordem de classificação, isso significa que um valor de cadeia de caracteres, como Égypte, agora está listado corretamente depois de Estonie e antes de Fidji.

Sobre dados do Excel: 

Com relação a maiúsculas e minúsculas, isso significa que os valores de histórias foram alterados entre a versão 10.4 (e anteriores) e a versão 10.5 (e posteriores). Contudo, as regras dos valores de classificação e comparação não foram alterados. Na versão 10.4 (e anteriores), os valores de cadeia de caracteres como "Casa”, "CASA” e "CaSa” são tratados da mesma maneira e armazenados com um valor representativo. Na versão 10.5 (e posteriores), os mesmos valores de cadeia de caracteres são considerados únicos e por isso armazenados como valores individuais. Para obter mais informações, consulte Alterações na maneira como os valores são calculados.

Quebra de empates nas consultas N principais

Quando uma consulta N principal na extração produz valores duplicados para uma posição específica em uma classificação, a posição que quebra o empate pode ser diferente ao usar as versões 10.5 e posteriores. Por exemplo, suponha que você crie um filtro para os 3 principais. As posições 3, 4 e 5 têm os mesmos valores. Ao usar a versão 10.4 e anterior, o filtro principal poderá retornar as posições 1, 2 e 3. Contudo, ao usar as versões 10.5 e posteriores, o filtro principal poderá retornar as posições 1, 2 e 5.

Precisão dos valores em ponto flutuante

As extrações são mais eficientes em aproveitar os recursos de hardware disponíveis em um computador e por isto são capazes de realizar operações matemáticas de forma altamente paralela. Por isso, números reais podem ser agregados por extrações .hyper em ordens diferentes. Quando os números são agregados em uma ordem diferente, valores diferentes aparecem na exibição após o ponto decimal a cada vez que a agregação é computada. Isso ocorre devido à adição e à multiplicação em ponto flutuante não ser necessariamente associativa. Isto é, (a + b) + c não é necessariamente o mesmo que a + (b + c). Além disso, números reais podem ser agregados em ordens diferentes devido à multiplicação em ponto flutuante não ser necessariamente distributiva. Isto é, (a x b) x c não é necessariamente o mesmo que a x b x c. Esse tipo de comportamento de arredondamento em ponto flutuante nas extrações .hyper se assemelha ao comportamento de arredondamento em ponto flutuante nos bancos de dados empresariais.

Por exemplo, suponha que a pasta de trabalho contenha um filtro com controle deslizante em um campo agregado composto por valores de ponto flutuante. Como a precisão dos valores em ponto flutuante foi alterada, o filtro agora pode excluir uma marca que define o limite superior ou inferior do intervalo de filtro. A ausência desses números pode causar uma exibição em branco. Para resolver este problema, mova o controle deslizante no filtro ou remova e adicione o filtro novamente.

Precisão das agregações

As extrações otimizadas para grandes conjuntos de dados ao aproveitarem melhor os recursos de hardware disponíveis em um computador e, por isto, serem capazes de calcular agregações de forma altamente paralela. Devido a isso, as agregações realizadas por extrações .hyper podem se assemelhar aos resultados de bancos de dados empresariais mais do que aos resultados de softwares que se especializam em cálculos estatísticos. Se for trabalhar com um conjunto de dados pequeno ou precisar de um nível mais alto de precisão, considere efetuar as agregações por meio de linhas de referência, estatísticas de cartão de resumo ou funções de cálculo de tabela como variância, desvio padrão, correlação ou covariância.

Sobre a opção Computar cálculos agora para extrações

Se a opção Computar cálculos agora foi usada em uma extração .tde em uma versão anterior do Tableau Desktop, certos campos calculados foram materializados e, por isso, calculados com antecedência e armazenados na extração. Se você atualizar a extração do formato .tde para o .hyper, os cálculos materializados anteriormente na extração não são incluídos. É necessário usar a opção Computar cálculos agora novamente para assegurar que os cálculos materializados façam parte da extração após a atualização da mesma. Para obter mais informações, consulte Materializar os cálculos na extração.

Nova API de extração

É possível usar a API de extração 2.0 para criar extrações .hyper. Para tarefas realizadas anteriormente usando o SDK do Tableau, como a publicação de extrações, é possível usar a REST API do Tableau Server ou a biblioteca do cliente do Tableau Server (Python). Para as tarefas de atualização, também é possível usar a REST API do Tableau Server. Para obter mais informações, consulte API do Hyper do Tableau.

Criar uma extração

Embora haja diversas opções no fluxo de trabalho do Tableau para criar uma extração, o método principal está descrito a seguir.

  1. Após se conectar aos dados e definir a fonte de dados na página Fonte de dados, no canto superior direito, selecione Extrair e clique no link Editar para abrir a caixa de diálogo Extrair dados.

  2. (Opcional) Configure uma ou mais das opções a seguir para informar o Tableau como armazenar, definir os filtros e limitar a quantidade de dados na extração:

    • Decidir como os dados de extração devem ser armazenados

      Você pode escolher que o Tableau armazene os dados em sua extração usando uma de duas estruturas (esquemas): tabelas lógicas (esquema desnormalizado) ou várias físicas (esquema normalizado). Para obter mais informações sobre tabelas lógicas e físicas, consulte O modelo de dados do Tableau.

      A opção escolhida depende do que você precisa.

      • Tabelas lógicas

        Armazenam dados usando uma tabela de extração para cada tabela lógica na fonte de dados. Tabelas físicas que definem uma tabela lógica são mescladas e armazenadas com essa tabela lógica. Por exemplo, se uma fonte de dados fosse composta por uma única tabela lógica, os dados seriam armazenados em uma tabela única. Se uma fonte de dados fosse composta por três tabelas lógicas (cada uma com várias tabelas físicas), os dados da extração seriam armazenados em três tabelas - uma para cada tabela lógica.

        Selecione Tabelas lógicas que desejar limitar o volume de dados na extração com propriedades de extração adicionais, como filtros de extração, agregação, N principal ou outros recursos que requerem dados desnormalizados. Use também quando os dados utilizarem as funções de passagem (RAWSQL). Essa é a estrutura padrão usada pelo Tableau para armazenar dados de extração. Se usar essa opção quando sua extração contiver uniões de colunas, as uniões serão aplicadas quando a extração for criada.

      • Tabelas físicas

        Armazenam dados usando uma tabela de extração para cada tabela física na fonte de dados.

        Selecione Tabelas físicas se a extração é composta por tabelas combinadas com uma ou mais uniões de igualdade e atende às Condições de uso da opção Tabelas físicas listadas abaixo. Se usar essa opção, as uniões de colunas serão executadas no momento da consulta.

        Essa opção pode aprimorar consideravelmente o desempenho e ajudar a reduzir o tamanho do arquivo de extração. Para obter mais informações sobre como o Tableau recomenda o uso da opção Tabelas físicas, consulte Dicas de uso da opção Tabelas físicas. Em alguns casos, é possível usar essa opção como uma solução alternativa para segurança a nível de linha. Para obter mais informações sobre a segurança a nível de linha, consulte Restringir acesso no nível de linha de dados.

        Condições de uso da opção Tabelas físicas

        Para armazenar a extração usando a opção Tabelas físicas, os dados na extração devem atender a todas as condições listadas abaixo.

        • Todas as uniões de colunas entre tabelas físicas são uniões de igualdade (=)
        • Os tipos de dados das colunas usadas para relações uniões de colunas são idênticos
        • Nenhuma função de passagem (RAWSQL) usada
        • Nenhuma atualização incremental configurada
        • Nenhum filtro de extração configurado
        • Nenhum N principal ou amostragem configurados

        Quando a extração é armazenada como tabelas físicas, não é possível anexar dados a ela. Em tabelas lógicas, não é possível anexar dados a extrações com mais de uma tabela lógica.

      Observação: as opções Tabelas lógicas e Tabelas físicas afetam somente a maneira como os dados na extração são armazenados. As opções não afetam como as tabelas na extração são exibidas na página Fonte de dados.

      Por exemplo, suponha que a extração seja composta por uma tabela lógica que contém três tabelas físicas. Se você abrir diretamente o arquivo de extração (.hyper) configurado para usar a opção padrão, Tabelas lógicas, você verá uma tabela listada na página Fonte de dados. Contudo, se abrir uma extração usando o arquivo de fonte de dados empacotado (.tdsx) ou o arquivo de fonte de dados (.tdsx) com sua extração correspondente (.hyper), você verá todas as três tabelas contidas na extração na página Fonte de dados.

    • Determinar a quantidade de dados para a extração 

      Clique em Adicionar para definir um ou mais filtros a fim de limitar a quantidade de dados a serem extraídos com base em campos e em seus valores.

    • Agregar os dados na extração 

      Selecione Agregar dados para dimensões visíveis para agregar as medidas utilizando a opção padrão. A agregação dos dados consolida as linhas, pode minimizar o tamanho do arquivo de extração e aumentar o desempenho.

      Ao optar por agregar os dados, também é possível selecionar Agregar datas para um nível de data especificado, como Ano, Mês etc. Os exemplo abaixo mostram como os dados serão extraídos para cada opção de agregação disponível.

      Dados originais Cada registro é mostrado como uma linha separada. Há sete linhas em seus dados.
      Agregar dados para dimensões visíveis

      (sem acumular)

      Registros com a mesma data e região foram agregados em uma única linha. Há cinco linhas na extração.
      Agregar dados para dimensões visíveis
      (acumular datas até Mês)
      As datas foram acumuladas até o nível de Mês e os registros com a mesma região foram agregados em uma única linha. Há três linhas na extração.
    • Escolher quais colunas extrair

      Selecione o número de linhas que deseja extrair.

      Você pode extrair Todas as linhas nas linhasN superiores. Primeiro, o Tableau aplica os filtros e a agregação e, em seguida, extrai o número de linhas dos resultados filtrados e agregados. O número de opções de linhas depende do tipo de fonte de dados da qual você está extraindo.

      Observações:

      • Nem todas as fontes de dados oferecem suporte à amostragem. Sendo assim, a opção Amostragem pode não estar disponível na caixa de diálogo Extrair dados.

      • Qualquer campo ocultado em primeiro lugar na página Fonte de dados ou na guia da planilha será excluído da extração. Clique no botão Ocultar todos os campos não utilizados para remover os campos ocultos da extração.

  3. Ao terminar, clique em OK.

  4. Clique na guia Planilha. Clicar na guia Planilha, inicia a criação da extração.

  5. Na caixa de diálogo seguinte, selecione um local no qual salvar a extração, atribua um nome ao arquivo e clique em Salvar.

    Se a caixa de diálogo Salvar não for exibida, consulte a seção Solucionar problemas de extrações abaixo.

Dicas gerais para trabalhar com extrações

Salvar a pasta de trabalho para preservar a conexão com a extração

Após criar uma extração, a pasta de trabalho começa a usar a versão dos seus dados que é uma extração. Contudo, a conexão com a extração dos seus dados só será preservada quando a pasta de trabalho for salva. Isso significa que, se você fechar a pasta de trabalho sem salvá-la primeiro, ela se conectará à fonte de dados original na próxima vez que for aberta.

Alternar entre dados de exemplo e toda a extração

Ao trabalhar com uma grande extração, pode ser interessante criar uma extração com uma amostra dos dados para que seja possível instalar a exibição e, ao mesmo tempo, evitar grandes consultas toda vez que um campo foi adicionado a uma divisória na guia da planilha. Para alternar entre o uso da extração (com dados de amostra) e o uso da fonte de dados completa, selecione uma fonte de dados no menu Dados e selecione Usar extração.

Não se conectar diretamente à extração

Como as extrações são salvas no sistema de arquivos, é possível conectar-se diretamente a elas com uma nova instância do Tableau Desktop. Isso não é recomendado por alguns motivos:

  • Os nomes das tabelas serão diferentes. As tabelas armazenadas na extração usam nomes especiais para garantir a exclusividade do nome, e podem não ser legíveis por humanos.
  • Você não pode atualizar a extração. Ao se conectar diretamente a uma extração, o Tableau trata esse arquivo como a verdadeira origem, em oposição a um clone de dados subjacentes. Então, não é possível relacioná-lo de volta aos dados de origem.
  • O modelo de dados e os relacionamentos serão perdidos. O modelo de dados e os relacionamentos entre as tabelas são armazenados no arquivo .tds, e não no arquivo .hyper, de modo que essas informações são perdidas ao se conectar diretamente ao arquivo .hyper. Além disso, se você extrair usando o armazenamento de tabelas lógicas, não verá referências às tabelas físicas originais subjacentes.

Remover a extração da pasta de trabalho

É possível remover uma extração a qualquer momento ao selecionar a fonte de dados de extração no menu Dados e depois selecionar Extração > Remover. Ao remover uma extração, é possível escolher Remover a extração da pasta de trabalho apenas ou Remover e excluir o arquivo de extração. A segunda opção excluirá a extração do disco rígido.

Exibir o histórico de extrações

Para visualizar quando a extração foi atualizada pela última vez e outros detalhes, selecione uma fonte de dados no menu Dados e selecione Extração > Histórico.

Se você abrir uma pasta de trabalho que está salva com uma extração e o Tableau não conseguir localizá-la, selecione uma das opções abaixo na caixa de diálogo Extração não encontrada, quando solicitado:

  • Localizar a extração: selecione esta opção se a extração existir, mas não estiver no local onde o Tableau originalmente a salvou. Clique em OK para abrir a caixa de diálogo Abrir arquivo onde você pode especificar o novo local para o arquivo de extração.

  • Remover a extração: selecione esta opção caso não precise mais da extração. Isto é equivalente a fechar a fonte de dados. Todas as planilhas abertas que fazem referência à fonte de dados são excluídas.

  • Desativar a extração: use a fonte de dados original a partir da qual a extração foi criada, em vez da extração.

  • Regenerar a extração: recrie a extração. Todos os filtros e outras personalizações que você especificou quando criou originalmente a extração são automaticamente aplicados.

Dicas de uso da opção Tabelas físicas

O Tableau normalmente recomenda que você use a opção de armazenamento de dados padrão, Tabelas lógicas, ao configurar e trabalhar com extrações. Em muitos casos, alguns dos recursos necessários para a extração, como filtros de extração, estarão disponíveis somente se você usar a opção Tabelas lógicas.

Opção Tabelas físicas para extrações maiores do que o esperado

A opção Tabelas físicas deve ser usada com cuidado para ajudar em situações específicas, por exemplo, quando a fonte de dados atende às Condições de uso da opção Tabelas físicas e o tamanho da extração é maior do que o esperado. Para determinar se a extração é maior do que deveria, a soma das linhas na extração usando a opção Tabelas lógicas deve ser maior do que a soma das linhas de todas as tabelas combinadas antes da extração ter sido criada. Se você encontrar esse cenário, tente usar a opção Tabelas físicas.

Sugestões de filtragem alternativas ao usar a opção Tabelas físicas

Ao usar a opção Tabelas físicas, outras opções para ajudar a reduzir os dados na extração, como filtros de extração, agregação, N principal e Amostragem, são desativadas. Se precisar reduzir os dados em uma extração que usa a opção Tabelas físicas, considere filtrá-los antes que eles sejam transferidos para o Tableau Desktop usando uma das seguintes sugestões:

  • Conecte-se aos dados e defina os filtros usando o SQL personalizado: em vez de se conectar a uma tabela do banco de dados, conecte-se aos dados usando o SQL personalizado. Ao criar a consulta de SQL personalizado, verifique se ela contém o nível apropriado de filtragem necessário para reduzir os dados na extração. Para obter mais informações sobre o SQL personalizado no Tableau Desktop, consulte Conectar a uma consulta de SQL personalizado.

  • Defina uma exibição no banco de dados: se tiver acesso de gravação ao banco de dados, considere definir uma exibição do banco de dados que contenha apenas os dados necessários para a extração e, em seguida, conecte-se à exibição do banco de dados com o Tableau Desktop.

Segurança no nível de linha com extrações

Se quiser proteger os dados de extração no nível de linha, recomenda-se o uso da opção Tabelas físicas para obter esse cenário. Para obter mais informações sobre a segurança a nível de linha no Tableau, consulte Restringir acesso no nível de linha de dados.

Solucionar problemas de extrações

  • A criação de uma extração demora muito: dependendo do tamanho do conjunto de dados, criar uma extração de dados pode demorar muito. No entanto, depois que você extrair os dados e salvá-los no computador, o desempenho poderá melhorar.

  • A extração não é criada: se o conjunto de dados contiver realmente um grande número de colunas (por exemplo, em milhares), o Tableau talvez não consiga criar a extração em alguns casos. Se você encontrar problemas, considere extrair menos colunas ou reestruturar os dados subjacentes.

  • O diálogo Salvar não é exibido ou a extração não é criada de um .twbx: se você seguir o procedimento acima para extrair os dados de uma pasta de trabalho em pacote, o diálogo Salvar não é exibido. Quando uma extração for criada de uma pasta de trabalho em pacorte (.twbx), o arquivo de extração é automaticamente armazenado em um pacote de arquivos associados à pasta de trabalho em pacote. Para acessar o arquivo de extração que você criou com a pasta de trabalho em pacote, é necessário desempacotar a pasta de trabalho. Para obter mais informações, consulte Pastas de trabalho em pacote.

Outros artigos nesta seção

Agradecemos seu feedback! Ocorreu um erro ao enviar o feedback. Tente novamente ou envie-nos uma mensagem.