Testar seus dados e usar extrações

Provavelmente, você não tem controle sobre o hardware, potência de processamento e espaço em disco no qual o seu banco de dados é executado. Ou a quantidade de pessoas que acessam o banco de dados em um determinado momento, quantos serviços estão sendo executados e o nível de capacidade da rede. Mas você pode testar o desempenho bruto dos dados antes de começar a criar uma pasta de trabalho, para que possa compreender o ambiente de trabalho. E existem alguns procedimentos que podem ser realizados para afetar o desempenho das pastas de trabalho criadas, começando pela forma como você opta para conectar os seus dados: os drivers usados, e se o seu tipo de conexão é em tempo real ou de extração.

Testar o mais perto possível dos dados

Uma boa maneira de testar o desempenho bruto dos dados é instalar o Tableau Desktop no computador onde os eles residem e executar algumas consultas. Isso elimina fatores externos, como a largura de banda e a latência dos resultados de desempenho, e ajuda a compreender o desempenho bruto da consulta na fonte de dados.

Além disso, você pode usar o nome localhost para os dados, em vez do nome DNS, para ajudar a determinar se os fatores ambientais, como a resolução lenta do nome ou os servidores de proxy, estão retardando o desempenho.

Conectar-se com drivers de banco de dados nativos

Ao conectar-se aos dados com os drivers de bancos de dados nativos, muitas vezes, você enfrentará um desempenho significativamente mais rápido do que quando se conectar aos mesmos dados com drivers ODBC. Ao usar os drivers de bancos de dados nativos, certifique-se de que você está usando a versão mais recente. Os fornecedores de bancos de dados estão sempre trabalhando para melhorar os seus drivers. Para obter uma lista de drivers, consulte Drivers e ativação no site do Tableau.

Trabalhar com extrações, em vez de dados em tempo real

Dependendo dos dados, é possível escolher entre uma conexão em tempo real ou de extração na página da fonte de dados. Uma conexão em tempo real é uma conexão direta com seus dados. Uma extração de dados do Tableau é um instantâneo compactado de dados armazenados localmente e carregados na memória conforme necessário, para renderizar uma visualização no Tableau. As extrações são projetadas para usar todas as partes da memória do computador de forma otimizada.

Existem várias razões para usar uma extração, mas a principal relacionada ao desempenho, é se a execução de consulta estiver lenta. O formato de dados da extração é projetado para fornecer uma resposta rápida a consultas analíticas. Neste caso, pode-se considerar a extração como um cache de aceleração da consulta.

Para obter mais informações sobre extrações do Tableau, consulte Extrair seus dados. Outra referência é uma publicação no blog com três partes sobre extrações, que começam com a primeira publicação, Noções básicas sobre as extrações de dados no Tableau.

Reduzir a quantidade de dados

Ao criar uma extração, use filtros para excluir os dados de que você não precisa. Além disso, pergunte a si mesmo se você precisa de todos os registros em uma fonte de dados ou se é possível limitar a extração a uma amostra de representação. Para obter mais informações, consulte Extrair seus dados.

Ocultar campos não utilizados

Campos ocultos não são incluídos ao criar uma extração. Use a opção Ocultar todos os campos não utilizados para ocultar os campos desnecessários antes de criar uma extração. Isso torna a extração menor, melhorando o desempenho. Para obter mais informações, consulte Ocultar ou reexibir campos.

Otimizar extrações

A opção Computar cálculos agora materializa os cálculos em sua extração, significando que certos cálculos são calculados antecipadamente e seus valores são armazenados na extração. Dependendo da complexidade dos cálculos usados na extração, isso pode acelerar potencialmente futuras consultas.

Para materializar os cálculos, selecione uma fonte de dados no menu Dados e, em seguida, Extração > Computar cálculos agora. Para obter mais informações, consulte Materializar os cálculos na extração.

Usar as extrações para dados na nuvem

Em geral, é uma prática recomendada importar dados baseados em arquivo. Por exemplo, arquivos de texto, como CSV, planilhas do Microsoft Excel e os arquivos do Microsoft Access, bem como arquivos estatísticos como SPSS, SAS e R no Tableau. Isso faz com que as consultas sejam executadas com mais rapidez e também resulta em um arquivo muito menor para armazenar os valores de dados.

Se os seus dados forem um texto ou arquivo de Excel grande, o uso da extração não só melhora o desempenho, mas também disponibiliza mais funcionalidades para você. Observe que se você conectar o Tableau a um arquivo de texto grande, será solicitada a extração dos dados se o Tableau descobrir que o arquivo é muito grande para ter um bom desempenho.

Evitar o uso de SQL personalizado

Na maioria dos casos, o SQL personalizado é executado mais devagar do que as consultas criadas pelo Tableau. O Tableau não pode executar otimizações de consulta em um SQL personalizado. Porém, em casos em que você precisa usar o SQL personalizado, use uma extração, para que a consulta seja executada apenas uma vez. Para obter mais informações, consulte Conectar a uma consulta de SQL personalizado.

Agradecemos seu feedback!