Conexão com fontes de dados

Um dos motivos primários pelo qual os especialistas do Tableau promovem o Tableau Server é a colaboração permitida por ele. Quando a sua organização muda para o Tableau Server, uma mudança conceitual importante para você e seus usuários é como considera o compartilhamento de pastas de trabalho … e a sua análise dos dados, ajudada pelas pastas de trabalho.

Reflita sobre os dados nos termos do Tableau Server

Se você usa somente o Tableau Desktop, gerencia todas as suas conexões aos dados. Por exemplo, pode abrir o Tableau, conectar-se ao SQL Server e, em seguida, selecionar o banco de dados, a tabela e as colunas para trabalho. Ou você pode se conectar a um arquivo do Excel e selecionar a planilha a ser analisada. Normalmente, você não pensa sobre como irá compartilhar os dados com outras pessoas. Na realidade, um erro de novato que todos já cometemos é criar uma pasta de trabalho baseada em um arquivo do Excel local, salvá-la como um arquivo .twb e, em seguida, enviá-la por e-mail para que outros a vejam. Porém, eles não conseguem visualizá-la, pois a pasta de trabalho enviada por e-mail não pode ser aberta no seu arquivo do Excel local.

Agora que instalou o Tableau Server, você e seus usuários devem aprender um modo diferente de refletir sobre as pastas de trabalho e os dados. Naturalmente, os usuários compartilharão as pastas de trabalho, publicando-as no Tableau Server. Mas você e eles também precisam refletir sobre como compartilhar os dados usados por essas pastas de trabalho.

Com o Tableau Server disponível aos seus usuários, você pode compartilhar os dados de várias maneiras:

  • Crie e publique pastas de trabalho em pacote que contêm extrações criadas no Tableau Desktop. Outros usuários podem trabalhar com essas pastas de trabalho e com os dados estáticos nas extrações.

  • Publicar uma fonte de dados que define uma conexão com uma fonte de dados e inclui informações sobre quais dados no banco de dados devem ser usados. Os usuários podem criar as pastas de trabalho que apontam para esta fonte de dados.

Reflita sobre a otimização do acesso e segurança de dados

Além de refletir sobre as maneiras de compartilhar o acesso a dados, você e os seus usuários devem aprender como usar os dados com o máximo de eficiência. Em um primeiro momento, a otimização do acesso a dados com o Tableau Server pode parecer complexa. O Tableau suporta muitos conectores de dados. Cada conector é otimizado para os dados aos quais se conecta e cada conector tem diferentes características. Muitos têm requisitos de autenticação diferentes. Alguns não permitem extrações. Alguns suportam operações e filtragem de consulta detalhada, enquanto outros são mais limitados.

Ao se familiarizar com o Tableau Server e aprender como otimizar o acesso de dados para os cenários, os seus usuários verão os benefícios a seguir:

  • Desempenho. O objetivo é "fluxo". Quando os usuários estiverem no fluxo de análise de dados, trabalhar com os dados de modo diferente os ajudará a ter maior compreensão. Você deseja configurar o acesso de dados, para que, até quando possível, não haja interrupção na experiência de fluxo dos usuários.

  • Acesso aos dados. Para muitas organizações, impor o acesso apropriado aos dados pode colocar os negócios em risco. Como um administrador do Tableau Server, você pode certificar-se de que o acesso dos usuários aos dados atenda os requisitos de autenticação e privacidade da sua organização.

  • Fonte única para os dados. Você pode usar o Tableau Server para melhorar a consistência dos dados em toda a organização. Você pode gerenciar as conexões de fontes de dados e criar agendas de atualização de extração para atender às necessidades dos seus usuários e estabelecer um uso de dados estável e consistente.

Antes de começar

Escrevemos este capítulo para os especialistas do Tableau Desktop responsáveis pelo gerenciamento do Tableau Server. Portanto, pressupomos que você saiba as diferenças entre uma conexão em tempo real aos dados (como um SQL Server ou uma solução de nuvem como Amazon Redshift) e uma extração. Você deve estar familiarizado com os termos e conceitos a seguir:

  • Fonte de dados. Uma conexão com um banco de dados ou a outro local em que os dados são armazenados, com informações sobre quais dados no banco de dados devem ser usados. Os usuários podem criar as pastas de trabalho que apontam a uma fonte de dados. Uma fonte de dados compartilhada no Tableau Server pode conter uma extração ou informações de configuração que descrevem como acessar uma conexão em tempo real.

  • Extração. Este é um instantâneo dos dados. Uma extração (arquivo .tde ou .hyper) pode ser criada a partir de uma fonte de dados estática, como uma planilha do Excel. Ou a extração pode conter os dados de um banco de dados relacional ou de dados baseados em nuvem. As extrações compartilhadas no Tableau Server podem ser configurados para serem atualizadas com base nos dados subjacentes, de acordo com uma agenda definida por você.

  • Conexão em tempo real. Isso se refere a uma fonte de dados que contenha conexões diretas com dados subjacentes, o que fornece dados em tempo real ou quase isso. Com uma conexão em tempo real, o Tableau consulta o banco de dados ou outra fonte diretamente e retorna os resultados da consulta para uso em uma pasta de trabalho. Os usuários podem criar conexões em tempo real e, em seguida, as compartilhar no Tableau Server, de modo que outros usuários do Tableau possam usar os mesmos dados com as mesmas configurações de conexão e filtragem. Como administrador do Tableau Server, é possível gerenciar as credenciais e as permissões associadas às fontes de dados para controlar quais dados os usuários podem acessar.

  • Usuário Run As. Essa é a conta do Windows usada pelo Tableau Server para acessar os dados na sua organização. Discutimos essa conta de usuário nos capítulos de planejamento e instalação. A conta de usuário Run As pode agir como a conta do Windows que o Tableau Server usa para obter os dados. É importante se os seus usuários precisarem acessar os dados provenientes de arquivos compartilhados (como planilhas do Excel compartilhadas), Microsoft SQL Server, bancos de dados da Oracle ou outras fontes de dados que usam a autenticação do Windows.

Se você ainda não estiver familiarizado com esses termos diferentes de acesso aos dados, leia Publicar fontes de dados e pastas de trabalho na Ajuda do Tableau. Para relembrar como o Tableau Server usa a conta de usuário Run As, revise Planejamento da sua implantação anteriormente neste guia.

O que você precisa fazer?

Este capítulo do Tableau Server: Guia de instalação para todos discute três etapas básicas que você deve executar para dar início à sua nova função como administrador de dados do Tableau Server:

  1. Fornecer acesso às fontes de dados

  2. Compreender totalmente as implicações entre o uso de uma conexão em tempo real e uma extração.

  3. Testar as possíveis diferenças de desempenho entre uma conexão em tempo real e uma extração.

Fornecer acesso às fontes de dados

O acesso às fontes de dados começa com uma compreensão sobre como várias fontes de dados lidam com a autenticação, ou seja, com o logon. Na maioria dos casos, os bancos de dados, dados de nuvem e cubos exigem a autenticação dos usuários antes do acesso aos dados. Os detalhes para autenticação são exclusivos a cada conector e a autenticação é feita por cada conector.

Como administrador, você pode precisar coordenar o acesso aos dados com os administradores de banco de dados ou equipe de dados na sua organização. Se você for a equipe de dados, precisará compreender os dados utilizados e os requisitos de autenticação impostos pela sua organização. Por exemplo, quando um usuário do Tableau se conecta ao MySQL, a autenticação do Windows é necessária para acesso. Os usuários no Tableau Desktop para Windows não são avisados. Mas se um usuário tiver um Mac, o conector do Tableau Desktop para MySQL avisa aos usuários do Mac para fornecer as credenciais quando tentarem se conectar.

Se possível, recomendamos a autenticação por usuário para o acesso aos dados. No entanto, em alguns casos, a conta de usuário Run As pode ser usada para acessar bancos de dados ou compartilhamentos de arquivo. Um exemplo é o SQL Server. Se o usuário publicar uma pasta de trabalho que usa uma conexão em tempo real ao SQL Server (não uma conexão de extração), o Tableau Server usa automaticamente a conta de usuário Run As quando outros usuários acessarem a pasta de trabalho. Isso significa que quando outro usuário abre a pasta de trabalho, o acesso aos dados dele é definido pela quantidade de acessos fornecida por você, administrador, à conta de usuário Run As.

Conforme discutido no capítulo Planejamento da sua implantação, recomendamos que você configure o usuário Run As para o acesso com "menor privilégio". Na maioria dos casos, isso significa acesso da conta somente para leitura da conta às fontes de dados.

Permitir (ou não) a inserção de credenciais pelos usuários

Como administrador, você pode permitir que os usuários insiram as senhas (criptografadas) nas pastas de trabalho e fontes de dados que publicam ao servidor. Neste caso, quando outras pessoas usarem as pastas de trabalho ou fontes de dados, podem ver os dados sem precisar colocar as credenciais.

Para habilitar ou desabilitar as credenciais inseridas, faça logon no Tableau Server.

No menu do site, clique em Gerenciar todos os sites e, em seguida, clique em Configurações e, em seguida, clique na guia Geral.

Marque ou desmarque a opção Permitir que os publicadores incluam as credenciais em uma pasta de trabalho ou fonte de dados

Essa é uma configuração em todo o servidor — a configuração que você fizer aqui aplica-se a todas as pastas de trabalho em todos os sites.

Não podemos esquecer que há cenários em que as credenciais inseridas podem, inadvertidamente, fornecer acesso a usuários que não deveriam visualizar os dados. Portanto, para organizações que exigem a autenticação no nível de usuário aos bancos de dados, recomendamos desabilitar as credenciais inseridas. Então, os usuários são avisados a inserir as credenciais quando abrirem uma pasta de trabalho, conexão de dados, exibição ou painel que obtém dados de uma fonte que necessita de autenticação.

Por outro lado, algumas organizações usam o Tableau Server como um único ponto de entrada gerenciado para analistas de dados. Neste cenário, as credenciais inseridas podem estar no contexto dos negócios — todos os usuários do Tableau que precisam acessar o banco de dados podem usar um único conjunto de credenciais inseridas nas pastas de trabalho ou fontes de dados.

Definir permissões da fonte de dados

Publicar fontes de dados no Tableau Server permite que as pessoas da sua equipe ofereçam acesso centralizado aos dados. Além disso, permite o compartilhamento de dados entre usuários, incluindo os que não usam o Tableau Desktop, mas têm permissão de editar pastas de trabalho no ambiente de edição na Web. Os usuários que trabalham com o Tableau Desktop podem publicar fontes de dados que contenham extrações ou conexões em tempo real.

Como administrador, você determina quais usuários têm direito de publicar fontes de dados. Esses usuários devem ter uma função de site de, no mínimo, Publicador. Além disso, os usuários não administradores devem ter permissões de Visualizar e Salvar para o projeto no qual desejam publicar. (Para revisar as permissões do usuário, consulte o capítulo Estruturar projetos, grupos e permissões de conteúdo.)

Além de determinar quem pode publicar as fontes de dados, você pode definir as permissões para determinar quem pode se conectar às fontes de dados e quem pode editá-las. É possível configurar o acesso ao definir as seguintes funções de permissão para o projeto ou para fontes de dados individuais:

  • Conector. Esta função de permissão define as permissões que permitem ao usuário ou grupo se conectar à fonte de dados de uma pasta de trabalho no servidor (criação na Web) ou no Tableau Desktop.

  • Editor. Esta função de permissão define as permissões que permitem ao usuário ou grupo se conectar à fonte de dados no servidor e também publicar, editar, baixar, excluir, definir permissões e agendar atualizações para a fonte de dados.

Você poderá definir as permissões em fontes de dados individuais em um projeto somente se ele estiver desbloqueado. Conforme escrito no capítulo Estruturar projetos, grupos e permissões de conteúdo, recomendamos definir as permissões no nível de projeto e bloquear os projetos após configurar as permissões.

Para definir as permissões nas fontes de dados de um projeto, siga estas etapas:

  1. Faça logon no Tableau Server

  2. Clique no menu do site, na parte superior da página, e selecione o site com o qual irá trabalhar.

  3. Clique na guia Conteúdo, clique em Projetos e, em seguida, selecione o projeto no qual você deseja definir as permissões.

  4. Em Ações, clique em Permissões.

  5. Selecione ou adicione o usuário ou grupo para o qual deseja atribuir as permissões de fontes de dados.

    Em Fontes de dados, selecione a função de permissão que deseja definir.

  6. Clique em Salvar.

Compartilhar arquivos CSV, Excel ou Access por meio de conexão em tempo real

Alguns dos seus usuários podem analisar os dados que estão em arquivos CSV (valores separados por vírgula), do Microsoft Excel ou do Microsoft Access que permanecem como arquivos autônomos em uma pasta. Frequentemente, esses arquivos são tratados como banco de dados, por exemplo, vários usuários podem usar o Tableau para analisar os dados em um arquivo do Excel, em um local de rede compartilhada, e alguém (talvez esses mesmos usuários) também atualiza o arquivo frequentemente.

(Para ser mais claro, acessar o arquivo autônomo em um local de rede compartilhada não é equivalente a usar um banco de dados dedicado de vários usuários, como o SQL Server, MySQL ou Oracle. Os arquivos CSV, Excel e Access não oferecem o tipo de desempenho, a segurança no nível de usuário ou os recursos de consulta detalhados inerentes aos bancos de dados relacionais.)

O procedimento que fornecemos aqui mostra a você como compartilhar os arquivos Excel usando uma pasta compartilhada em um computador com Windows sendo executado em um ambiente do Active Directory.

Neste cenário, a conta de usuário Run As que você criou e configurou para o Tableau Server é usada como contexto de segurança para acessar o arquivo Excel em um local de rede.

Configurar o local de rede compartilhada

Vá para a página Compartilhar arquivos com alguém no site do Microsoft Windows e siga o procedimento em "Compartilhar arquivos e pastas em um grupo de trabalho ou domínio". Essas etapas descrevem como usar o assistente de Compartilhamento de Arquivos do Windows para criar uma pasta compartilhada acessível dentro da sua organização e usando uma UNC (convenção de nomeação universal). O nome UNC consiste em um nome de servidor, seguido por um nome de pasta, parecido com um endereço da Web, para acessar a sua pasta compartilhada. Aqui está um exemplo, em que DATATEAM é o nome do computador e shared é o nome da localização compartilhada naquele computador:

\\DATATEAM\shared

A localização indicada por shared, na verdade, pode estar a muitos níveis dentro da hierarquia da pasta, mesmo que isso não esteja refletido diretamente no nome UNC.

Quando você executa o assistente de Compartilhamento de Arquivos do Windows, insere a conta de usuário e as contas das pessoas que desejam compartilhar o conteúdo. Para este procedimento, insira a conta de usuário Run As e, em seguida, defina o Nível de Permissão para Read (Leitura). Isso significa que qualquer processo executado como usuário Run As pode ler a localização compartilhada. É claro que, no nosso caso, esse processo é o Tableau Server.

A última página do assistente de Compartilhamento de Arquivos exibe o caminho UNC. Anote este caminho e envie-o aos seus usuários para que saibam onde se conectar aos arquivos Excel compartilhados.

Adicionar o arquivo do Excel à localização compartilhada

Após configurar a localização compartilhada, copie o arquivo (ou arquivos) do Excel que deseja compartilhar para aquela localização.

Criar uma pasta de trabalho que se conecta ao arquivo do Excel compartilhado

Este procedimento descreve como acessar um arquivo do Excel na localização de rede compartilhada e, em seguida, como publicar os dados em uma pasta de trabalho no Tableau Server. Esse é um procedimento para os seus usuários, então, certifique-se de que eles saibam como seguir essas etapas.

Após os usuários publicarem usando este método, outros usuários que acessam a pasta de trabalho publicada verão os dados originados diretamente do arquivo Excel compartilhado. Os usuários também podem atualizar os dados do arquivo Excel enquanto trabalham na pasta de trabalho do Tableau.

  1. Abra o Tableau Desktop. Na página inicial, em Conectar, clique em Excel.

  2. Na caixa de diálogo Abrir, insira o caminho UNC no campo do arquivo, na parte superior, usando o formato \\computer-name\share-location-name.

  3. Selecione a pasta de trabalho do Excel à qual você deseja conectar e clique em Abrir.

  4. Crie uma pasta de trabalho do Tableau da maneira usual, mas não extraia os dados do Excel.

  5. Para publicar, clique em Servidor > Publicar. Quando for solicitado, insira o endereço do Tableau Server e as credenciais de um usuário do Tableau com permissões para publicar.

  6. Na página Publicar pasta de trabalho no Tableau Server, desmarque a caixa de seleção Incluir Arquivos Externos. Clique em OK.

  7. Defina as permissões, se necessário, e clique em Publicar.

Manter dados atualizados

Em muitos casos, os dados exibidos em uma pasta de trabalho ou exibição são alterados após o usuário publicar a pasta de trabalho. Por exemplo, se um usuário tiver uma pasta de trabalho que exiba as informações de vendas mensais, os dados da pasta de trabalho precisam ser atualizados, no mínimo, a cada mês.

Se a fonte de dados da pasta de trabalho tiver sido configurada para usar uma conexão em tempo real aos dados, a pasta de trabalho poderá ler os dados atualizados sempre que a pasta de trabalho for aberta. (Foi isso que mostramos no procedimento anterior a esta seção.) Mas se a fonte de dados da pasta de trabalho depender de uma conexão da extração, a extração precisará ser atualizada com os dados mais recentes.

Quando um usuário publica uma pasta de trabalho com uma extração, a extração é armazenada no servidor. Em seguida, os dados são incluídos com a pasta de trabalho, quando um usuário baixa a pasta de trabalho ou a visualiza no servidor.

Você pode atualizar uma extração de duas maneiras. Uma atualização completa substitui a extração atual pelos novos dados. Uma atualização incremental adiciona novos dados à extração existente. (Para suportar atualizações incrementais, os dados precisam incluir dados como carimbo de data ou ID sequencial que pode ser usada para indicar onde iniciar a atualização incremental.)

Seus usuários podem atualizar uma extração imediatamente no Tableau Desktop ao selecionar uma fonte de dados no menu Dados e, em seguida, selecionar Extração > Atualizar.

Como administrador, você também pode atualizar as extrações imediatamente:

  1. Faça logon no Tableau Server

  2. No alto da página, clique em Tarefas.

  3. Em Atualizações da Extração, selecione a pasta de trabalho ou a fonte de dados que deseja atualizar.

  4. No menu Ações, clique em Executar Agora.

Definir agendas de atualização para seleção pelos usuários

Quando um usuário publica uma pasta de tranalho que inclua uma extração, ele pode configurar uma agenda de atualização. Esta configuração está disponível na caixa de diálogo Publicar pasta de trabalho no Tableau Desktop.

Como administrador, você controla a agenda de atualização apresentada aos usuários quando eles publicarem (a área destacada na captura de tela). Para alterar as agendas de atualizações que os seus usuários podem escolher, siga estas etapas:

  1. Faça logon no Tableau Server

  2. No alto da página, clique em Agendas.

    • Desabilite, exclua ou edite qualquer agenda existente não desejada, selecionando a agenda e, em seguida, clicando na ação apropriada no menu Ações.

    • Crie uma nova agenda ao clicar em Nova Agenda e, em seguida, definir uma agenda na caixa de diálogo Nova Agenda:

Determinar a frequência das atualizações agendadas

Atualizar uma extração pode exigir muitos recursos, especialmente se você estiver tentando executar várias atualizações de extrações ao mesmo tempo. Portanto, geralmente é uma boa ideia executar as atualizações de extração fora do horário comercial e para agendá-las o mais espaçadamente possível, de acordo com as suas necessidades empresariais. Uma abordagem comum para grandes extrações é executar atualizações incrementais a cada noite, fora do horário comercial e, em seguida, executar uma atualização completa durante o fim de semana.

Configurar o cache das conexões de dados

Ao planejar a sua estratégia de fonte de dados, você deve saber como o Tableau Server faz o cache dos dados da pasta de trabalho hospedados no servidor. A compreensão do cache da conexão dos dados é especialmente importante para organizações que dependem de análise de dados em tempo real ou quase em tempo real.

Considere uma pasta de trabalho que tenha uma conexão em tempo real a um banco de dados. À medida que os usuários interagem com essa pasta de trabalho em um navegador da web, o Tableau Server armazena em um cache os dados retornados por consultas. Deste modo, se a interação do usuário na pasta de trabalho resultar em uma consulta que já foi emitida, o Tableau pode tentar ler os dados do cache. Obter os dados do cache normalmente é mais rápido do que executar novamente uma consulta, o que ajuda o usuário a permanecer no fluxo da sua análise de dados.

Por padrão, o Tableau Server colocará em cache e reusará os dados pelo maior de tempo possível. Para configurar um comportamento de armazenamento em cache para todas as conexões de dados:

  1. Execute o comando a seguir para definir o cache:

    tsm data-access caching set -r <value>

    Em que <value> é uma destas opções:

    • low ou cadeia de caracteres em branco (""). Esse é o valor padrão. O Tableau Server colocará em cache e reusará os dados pelo maior de tempo possível.

    • <n>. Especifica o número máximo de minutos que os dados devem ser armazenados em cache. Por exemplo, tsm data-access caching set -r 2 define o número máximo de minutos para 2.

    • always ou 0 (zero). Ambos os valores configuram a atualização do cache sempre que uma página for recarregada.

  2. Aplique as alterações. Execute o seguinte comando:

    tsm pending-changes apply

Em todos os casos, independentemente de como o cache foi configurado no Tableau Desktop, o usuário pode clicar no botão Atualizar Dados na barra de ferramentas para forçar o servidor a enviar uma nova consulta e recuperar os dados mais recentes. Além disso, os usuários que acessam dados por meio de um navegador da Web podem anexar o parâmetro :refresh à sua URL.

Compreender as implicações entre o uso de uma conexão em tempo real e uma extração

O propósito deste capítulo é guiá-lo por uma estratégia de gerenciamento da conexão e fonte de dados. Uma estratégia como essa tenta responder a uma pergunta bastante simples: para um determinado cenário, os seus usuários devem acessar os dados em tempo real ou usar extrações?

Primeiro de tudo, algumas fontes de dados não permitirão extrações. somente conexões em tempo real. Obviamente, se for esse o caso, você não precisa tomar uma decisão: use a conexão em tempo real.

Apesar dessa escolha fácil, há uma longa resposta para essa pergunta simples. Ao experimentar diferentes abordagens e saber mais sobre as inúmeras variáveis com impacto no desempenho, acesso, atualização de dados e vantagens e desvantagens de bancos de dados específicos, você irá formular uma resposta que funciona para os seus usuários na sua organização.

No entanto, compreendemos que você precisa fazer com que os seus usuários se conectem hoje aos dados. Então, nesta seção fornecemos alguns princípios fundamentais que você pode usar para tomar as decisões de acesso a dados consolidadas ao implementar o seu Tableau Server novinho em folha.

Princípio fundamental: se o desempenho é mais importante que a atualização dos dados, use uma extração

As extrações são ótimas para habilitar o fluxo de sua análise de dados. Quando uma extração é inserida em uma pasta de trabalho, todos os dados já estão disponíveis para o Tableau Server, que armazena a extração em um banco de dados de alto desempenho. Isso geralmente resulta em bom desempenho. Quando os usuários arrastam as dimensões e medidas, aplicam filtros e adicionam visualizações, eles observam imediatamente os resultados. Como os usuários estão interagindo com um instantâneo de dados e não trabalhando diretamente com dados em tempo real, a fonte de dados subjacente não é taxada quando eles analisam e visualizam os dados no Tableau.

Uma observação sobre o uso do Tableau Server para armazenamento: se as pastas de trabalho usadas pelas pessoas na sua organização estiverem acessando excessivamente um banco de dados com consultas repetidas para dados atualizados, você pode ficar tentado a usar o Tableau Server para hospedar extrações em uma tentativa de descarregar consultas de bancos de dados relacionais usados pelas pessoas. Normalmente, não recomendamos usar extrações somente para descarregar as consultas. Esse não é um uso econômico do Tableau Server, que é projetado para análise de dados, não para armazenamento de dados. Se você encontrar usuários que criam muitas extrações, pois o desempenho é prejudicado quando usam conexões em tempo real aos dados, considere as otimizações de desempenho no banco de dados, em vez de extrações de armazenamento no Tableau Server.

Princípio fundamental: se os dados em tempo real forem necessários para decisões corporativas, use uma conexão em tempo real

Muitos cenários de análises de dados necessitam de dados em tempo real. Por exemplo, operações financeiras que modelam as transações durante o horário comercial normalmente requerem dados em tempo real. Da mesma forma, a sondagem de cenários frequentemente precisa de dados em tempo real atualizados para fornecer uma análise rápido. Normalmente, se as análises de dados em que seus usuários estão trabalhando exigirem atualizações de dados medidas em minutos ou segundos, as pastas de trabalho devem ser criadas usando uma conexão em tempo real.

As extrações podem ser atualizadas frequentemente, mas como explicamos antes, essas atualizações podem exigir muito do processador e diminuir o desempenho do servidor. Ao mesmo tempo, o uso excessivo de conexões em tempo real, especialmente em pastas de trabalho complexas, pode desgastar os bancos de dados tradicionais. Portanto, você precisará certificar-se de que os processos do Tableau Server escalonados apropriadamente para uso excessivo de conexões em tempo real e que os seus bancos de dados estejam preparados para a tarefa de carga de consulta do Tableau Server. (Para obter mais informações sobre o ajuste do seu servidor, consulte o capítulo Notificações, monitoramento e ajuste.)

Lembre-se de que os resultados das consultas que usam conexões em tempo real podem ser armazenados em cache no servidor. Portanto, se você necessitar de dados em tempo real, certifique-se de configurar o cache para atualizar com mais frequência, conforme discutimos antes em Configurar o cache das conexões de dados.

Princípio fundamental: se uma pasta de trabalho tiver dados confidenciais, use uma conexão em tempo real

Conforme mencionamos antes, você deve decidir se permitirá que os usuários insiram credenciais em pastas de trabalho e fontes de dados que publicarem. A política de segurança e privacidade da sua organização deve indicar se você permite a inserção de credenciais pelos usuários.

Se a sua organização impõe permissões no nível de usuário aos bancos de dados, use uma conexão em tempo real para pastas de trabalho que se conectam a esses bancos de dados. Desse modo, os usuários que interagem com pastas de trabalho e fontes de dados que necessitam de autenticação precisarão inserir as credenciais. Para fontes de dados que permitem o acesso do usuário Run As, como SQL Server, Microsoft Analysis Services e Oracle, certifique-se de que você tenha configurado a conta de usuário Run As com o acesso aos recursos de banco de dados.

Comparar o desempenho das extrações e conexões em tempo real

As pessoas frequentemente perguntam o que é mais rápido: uma extração ou uma conexão em tempo real? Se você leu até aqui, sabe que a resposta é "depende".

No final, a melhor maneira de responder a essa pergunta é criar uma pasta de trabalho com uma conexão em tempo real para o seu banco de dados. Na maioria dos casos, as diferenças de desempenho são óbvias, ao criar a sua pasta de trabalho e visualizar os resultados.

Para uma análise mais detalhada, o Tableau inclui ferramentas (mais informações a seguir) que você pode usar para medir o desempenho da pasta de trabalho no Tableau Server e no Tableau Desktop. Use-as para criar o perfil do desempenho da pasta de trabalho que usa a conexão em tempo real. Ao obter esses dados, altere a pasta de trabalho para usar uma extração e, em seguida, medir novamente o desempenho.

Ao comparar esses resultados, poderá surgir uma solução. Se houver empate, você pode usar os dados para orientá-lo em relação as maneiras possíveis de melhorar o desempenho. Por exemplo, filtrar para usar somente o subconjunto de dados necessários pela pasta de trabalho pode fornecer a você uma solução óbvia.

Aqui estão alguns links para a Ajuda do Tableau e a Ajuda do Tableau Server, para obter mais informações sobre como executar e interpretar um registro de desempenho:

Continue com Notificações, monitoramento e ajuste.

Agradecemos seu feedback! Ocorreu um erro ao enviar o feedback. Tente novamente ou envie-nos uma mensagem.